busin
Esportes

Clubes buscam levar time de base ao profissionalismo


Atletas do Sub-20 deve reforçar o elenco profissional do Ceará em 2017. (Foto: Helene Santos)


Quando se fala em categorias de base de futebol para um torcedor, é automática a cobrança imediata em revelar craques e aproveitar jogadores no time principal aos tubos. Mas a realidade é bem diferente dos sonhos dos torcedores mais radicais.

O caminho para um atleta de uma categoria de base em chegar ao profissional é longo, tortuoso e muitas vezes nem passa pelo clube formador. Por isso, é praxe torcedores de Ceará e Fortaleza avistarem aquele jogador que passou pela base do clube sem tanto destaque, não brilhou no profissional, mas ´estourou´ em outro. Os casos de Everton campeão da Copa do Brasil pelo Grêmio, cria do Fortaleza, e Pablo, que jogou na base do Ceará e está no Bordeaux na França.

Vovô e Leão até lucraram com as transferências dos Ewerton e Pablo e continuarão em vendas futuras deles, mas o que os dos dois clubes querem mesmo é aproveitar os atletas revelados na base no time profissional.

O coordenador das categorias de base do Ceará, Anderson Silva, afirma que em quatro anos, a meta do clube é ter 50% do elenco profissional formado por atletas da base. "O Ceará sempre foi um clube exportador, formando seus elencos comprando jogadores. Mas a partir da aquisição do CT, a contratação de profissionais e o trabalho realizado em três anos, o clube está se tornando um clube formador. Nosso objetivo é que em cinco anos o elenco profissional tenha 50% de atletas da base. O trabalho está sendo feito para que eles cheguem prontos ao profissional e joguem naturalmente".

Ele afirma que, outra vertente das categorias de base, é liberar jogadores da base para outros clubes para ganhar experiência, como no Vovô aconteceu com Sanchez, para o Cabofriense e Robinho para o Cuiabá. "Outra via da base é emprestar para que os atletas ganhem cancha ou mesmo sejam negociados. Temos parceiros, como o Palmeiras, clube em que está o Arthur, que foi convocado para a Seleção Brasileira e é do Ceará".

Anderson adiantou que em 2017, o técnico Gilmar Dal Pozzo espera contar com jogadores da base no profissional. O treinador observará o desempenho do clube na Copa do Nordeste Sub-20 - que decide o título contra o Cururipe na segunda às 19 horas - e na Copa São Paulo de Júnior em Janeiro. "A conversa com o Gilmar e o Marcelo Segurado (gerente de futebol) foi proveitosa. Eles sabem da importância de se ter jogadores da base no profissional. Precisamos saber a hora certa dos jogadores subirem, como o Raul, ou mesmo de atuarem em outros clubes. Isso vai ser feito. Existem muitos garotos se destacando".

Nova orientação

A chegada do executivo de futebol, César Sampaio e o retorno do técnico Hemerson Maria significam para a base do Leão, uma mudança de orientação. César, cria do Santos, disse que quer dar atenção especial ao Sub-20 do Leão. "Eu já pedi aos diretores para ficar mais junto do Sub-20 porque a plataforma de sustentação de clubes intermediários é a sua categoria de base. Você forma os jogadores identificados com o clube e quando vai negociá-los você tem a maior parte dos direitos econômicos dos mesmos", disse César.

O técnico Hemerson Maria lembra um detalhe: "O garoto, para entrar no time profissional, tem que ter personalidade, porque a torcida é muito exigente. Não adianta lançar por lançar. É preciso fazer a preparação deles antes do profissional", disse.

Altos valores

O então diretor amador do Fortaleza, quando Everton foi negociado para o Grêmio, lembrou que o garoto, então com 16 anos, já vinha sendo observado pelo clube gaúcho, que o levou por R$ 250 mil. Hoje, ele vale milhões, porém, o Leão ainda tem 10% dos direitos econômicos do atleta. "É preciso que sejam colocados profissionais de qualidade na base, para descobrir o talento, revelá-lo e fazer a transição para o profissional. A base não necessita de um técnico propriamente dito, mas de um professor, para resgatar os jogadores e prepará-los não apenas para jogarem futebol, mas para a vida", ensina Jário Vieira, que vai perder seu cargo para Daniel de Paula Pessoa, escolhido o novo diretor da base. Entretanto, Jário ficará prestando serviço no setor, por conhecer a área. O Tricolor está negociando com o ex-volante Daniel Frasson para ser o coordenador da base.

Saiba mais 

No Vovô

Hoje o elenco do Ceará tem dois jogadores da base integrados para 2017: o goleiro Diego e o volante Raul. Outros dois, o lateral-direito Buiú e o volante Piauí estão com situações indefinidas.

No Leão

Diretoria atual pretende agregar pelo menos quatro jogadores ao time profissional, o que ocorrerá na primeira semana de pré-temporada, mas os nomes não foram revelados.

Fonte: Diário do Nordeste


Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário