busin
Mundo

EUA e Coreia do Norte mostram poderio bélico


O USS Michigan está armado com mísseis balísticos e é movido a energia nuclear. A embarcação foi enviada para pressionar Pyongyang (Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)


Pyongyang/Seul. A Coreia do Norte comemorou, ontem, o 85º aniversário da fundação de seu exército e realizou um grande exercício com fogo real em uma aparente demonstração de força em meio a tensões entre os EUA e Pyongyang sobre programas nucleares e de mísseis.

Não houve teste nuclear nem lançamento de mísseis. A Coreia do Norte só organizou um teste de artilharia de longo alcance. Foi o maior exercício de tiros realizado até o momento.

A Coreia do Norte aumentou sua retórica belicosa contra Washington, alertando que os EUA terão que escolher entre a rendição política e militar.

Trump

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse a embaixadores do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas que a ONU deve se preparar para impor novas e mais duras sanções contra a Coreia do Norte. "Essa é uma ameaça real para o mundo, queiram falar disso ou não. A Coreia do Norte é um grande problema global que temos que finalmente resolver. As pessoas colocaram vendas nos olhos por décadas, e agora é hora de resolver o problema", disse Trump na Casa Branca.

Em Washington, o governo Trump convidou todos os cem membros do Senado para uma reunião nesta quarta-feira para tratar da escalada da crise.

Imagens de satélite sugerem que a Coreia do Norte está se preparando para um teste de uma bomba atômica subterrânea. O governo sul-coreano confirmou que o USS Michigan, um submarino norte-americano armado com mísseis balísticos, chegou ao mar da Coreia do Sul, ontem. A embarcação, movida a energia nuclear, foi enviada ao local pelos EUA para pressionar o governo da Coreia do Norte a desistir de seu programa de armamento nuclear.

Tomahawk

Nem a Coreia do Sul nem o governo norte-americano confirmaram se o USS Michigan vai se juntar ao porta-aviões e à esquadra japonesa que participam de exercícios no Oceano Pacífico, próximo ao Japão.

O submarino foi projetado originalmente para transportar ogivas nucleares, mas, em 2004, foi modificado para carregar armamento de menor porte. Mesmo assim, tem capacidade para lançar até 100 mísseis Tomahawk - arma que tem um alcance de quase 2 mil quilômetros.


diariodonordeste

Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário