busin
Policia

Acusado de peculato, Pedro Neto de Sousa foi preso em flagrante ao chegar em sua residência


Ex- secretário, Pedro Neto (Foto: Reprodução/Redes Sociais)


Pedro Neto de Sousa,  ex-Secretário de Saúde nas gestões passadas do atual prefeito de Nova Olinda, Afonso Sampaio, foi preso em flagrante na tarde desta terça (10), por decorrência do cumprimento de busca e apreensão expedido pelo juiz Eric Bezerra Tavares e executado pelo promotor Daniel Ferreira de Lira.

Em sua residência foi apreendido um ar condicionado split no valor aproximado de 2 mil reais, que é tombado como patrimônio da prefeitura. Foram confiscados também notebooks e pendrive. 

Em entrevista ao Site Miséria, o promotor Daniel Ferreira de Lira informou que o acusado não se encontrava em casa no momento da chegada dos policiais, sendo recebido, portanto, pelo irmão do ex-secretário. As informações são de que, no momento, Pedro Neto estava na cidade de Assaré. Ao chegar em casa, instantes depois, foi efetuada a prisão em flagrante.

Ainda no momento da prisão, o acusado declarou ao promotor de justiça que não sabia que o ar-condicionado instalado em seu quarto fazia parte do patrimônio tombado pela prefeitura, mesmo o tombo sendo visível. Ao chegar na delegacia, indicou uma segunda versão do caso, desta vez mais detalhada.

"Eu instalei o aparelho a pedido do ex-prefeito Francisco Ronaldo Sampaio, na época que eu era secretário de saúde. Ele costumava tirar uma soneca na minha casa e pediu que eu colocasse o ar condicionado por causa do calor", declarou o acusado. 

Ronaldo Sampaio foi encontrado morto no dia 27 de julho de 2016 dentro da Floresta Nacional do Araripe.

Atualmente, Pedro Neto não é Secretário de Saúde em Nova Olinda, mas exerce função de 200h na pasta da cidade. A suspeita da promotoria é que ele ainda acumule cargos públicos nas prefeituras de Assaré e Altaneira.

O promotor Daniel Ferreira de Lira informou ainda que foi pedida a prisão preventiva do acusado.

Pedro Neto de Sousa já responde ações de improbidade por desvio e dano ao erário. Ele foi autuado pelo crime de peculato e após ser conduzido para a delegacia regional de Crato foi recambiado para a cadeia pública de Nova Olinda onde ficará a disposição da justiça. 

O caso ocorrido em Nova Olinda, ostenta uma realidade recorrente no país, onde é comum acusar  de um crime pessoas que já morreram e não podem  mais se defender.


Por Felipe Azevedo/Agência Miséria
Miséria.com.br

Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário