busin
Nordeste

Palmares: moradores brigam por comida estragada pela lama após enchente


Várias pessoas se concentraram na frente de um supermercado para tentar reaproveitar do lixo alimentos estragados pela lama que invadiu a cidade (Foto: Reprodução/TV Jornal)

A chuva que deixou 15 cidades em estado de calamidade em Pernambuco, trouxe à tona a situação de miséria que centenas de famílias vivem no interior do Estado. No município de Palmares, na Zona da Mata Sul, várias pessoas se concentraram na frente de um supermercado para tentar reaproveitar do lixo alimentos estragados pela lama que invadiu a cidade.

No último sábado (27) e domingo (28), as regiões da Mata Sul e Agreste pernambuco foram atingidas por um forte temporal. Casas, estabelecimentos comerciais, escolas e hospitais foram invadidos pela água, que chegou a cobrir muitos imóveis.

Nesta segunda-feira (29), com a trégua da chuva, muitas pessoas aproveitaram para retirar a lama e contabilizar o prejuízo. A faxina em um supermercado atraiu dezenas de pessoas, que se aglomeraram em frente ao local para retirar do lixo algum alimento. A Polícia Militar foi acionada para conter o ataque aos produtos descartados.

A cena foi registrada pela equipe de jornalismo da TV Jornal, que fazia a cobertura dos estragos na cidade de Palmares.

Reconstrução

Os moradores de Palmares estão tentando retomar a rotina depois das fortes chuvas que caíram no município. Com a baixa do Rio Una, muitas famílias aproveitaram para retirar a lama que ficou dentro das casas e jogar fora todos os móveis que não servem mais.

O centro de Palmares e os bairros da Cohab 1 e Pedreiras foram os mais prejudicados com a enchente. Segundo a Defesa Civil, dos 65 mil habitantes da cidade, pelo menos 8 mil estão desalojados e 800 pessoas desabrigadas em todo município.

Creches e escolas estão servindo como alojamentos temporários para os moradores que não tem para onde ir. O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, sobrevoou a região e anunciou a adoção de medidas emergenciais. "Nossas equipes vão ficar permanentemente aqui para que tenhamos os serviços funcionando. Vamos repassar recursos e ajuda humanitária", contou.

Fonte: TV Jornal


Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário