busin
Policia

Polícia recaptura foragido da cadeia que já matou três em Juazeiro e ele diz como fugiu



"Cier" quando foi preso em flagrante no último dia 23 de outubro e era entrevistado pelo repórter Normando Sóracles (Foto: Guto Vital/ Agência Miséria)

O fugitivo da cadeia pública de Juazeiro do Norte conhecido como "Tourinho", Jussier dos Santos Ferreira, de 48 anos, o "Cier", foi recapturado por volta das 8 horas da manhã desta terça-feira. A polícia já tinha recebido informações de populares que o teriam visto no bairro Triângulo após divulgação de sua foto no Site Miséria. Hoje cedo, uma patrulha do Policiamento Ostensivo Geral (POG) se deparou com o foragido nas imediações do mercado naquele bairro.

Ele foi levado à 20ª Delegacia Regional de Polícia Civil pelo Sargento Moizés e os Soldados Ribeiro e Sandiel, a fim de ser apresentada à delegada plantonista, Carla Nogueira Guedes. Numa conversa com o Major Luciano Rodrigues, Comandante do 2º BPM, Cier disse que estava lavando o pátio do hall da cadeia pública quando um agente pediu ao mesmo que aproveitasse para lavar o banheiro. Foi quando o detento percebeu a janela destravada, abriu e pulou para a parte externa da unidade prisional.

Ele disse mais que, além dos serviços de faxina na cadeia, desenvolve atividades como solda e pedreiro mesmo não funcionando como remissão de pena já que não existiu. Cier ainda será submetido à fase de instrução criminal quando haverá denúncia ou não pelo Ministério Público e pronúncia ou não pela Justiça, a fim de sentar no bandos dos réus para responder Ação Penal por homicídios.

No último dia 23 de outubro, ele foi preso em flagrante pelo Delegado Juliano Marcula um dia após matar a tiros e facadas o empresário e ex-vereador de Juazeiro, Erialdo Araújo Feitosa, de 46, sua mulher a professora Jussara Maria da Silva Feitosa, de 44 anos, e balear uma neta do casal de iniciais S. E. B., de apenas 3 anos. O crime aconteceu na Rua Guilherme José Bezerra do bairro Campo Alegre, onde a neta saiu lesionada com um tiro no abdômen e escapou após cirurgia.

Por conta desses crimes, Cier foi indiciado em Inquérito Policial presidido pelo Delegado Giovani Aquino para responder por homicídio triplamente qualificado em relação ao casal e duplamente qualificado no caso da criança. Na época da prisão, ele usou um nome falso quando a polícia descobriu o verdadeiro contra quem já existia um mandado em aberto pelo assassinato do vaqueiro Juciê Garcia da Costa, de 39 anos, no dia 5 de abril de 2010 no bairro Pedrinhas.



Por Demontier Tenório
Miséria.com.br

Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário