busin
Brasil

Rosa Weber critica baixa representação feminina



Brasília. A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, disse, ontem, que "há uma verdadeira sub-representação feminina na política brasileira". Empossada na semana passada para chefiar o TSE, Rosa criticou a baixa representação feminina nos espaços de poder, frente a maioria de mulheres no eleitorado.
Segundo a ministra, dos pedidos de registros de candidatura realizados para o pleito de 2018, apenas 30,7% são de mulheres.
"Esses dados (52,5% do eleitorado brasileiro é composto por mulheres) confrontados com o número de pedidos de registro de candidaturas evidenciam a desproporcionalidade entre o número de mulheres candidatas e o de mulheres aptas a votar", destacou a ministra, que falou no seminário "Elas por Elas", promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
Na mesa de abertura, o evento reuniu seis mulheres à frente do sistema judiciário brasileiro: além de Rosa, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge; a advogada-geral da União, Grace Mendonça; e a procuradora-geral junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Cristina Machado. Rosa Weber ainda exaltou a importância do voto feminino.
"Façamos, mulheres, ao exercer todas nós esse direito essencial da cidadania que é o voto, a diferença para um fortalecimento, para o estado democrático de direito, conquista diária e permanente de todos nós, com a consciência de que em nossas mãos, mulheres, está o destino do País, com a construção de sociedade que todas queremos, igualitária, justa e inclusiva" disse a presidente do TSE.
Ceará 
 
Nas eleições deste ano pelo Ceará, dos 260 candidatos para deputado federal, 84 são mulheres. Entre os treze candidatos para o Senado, há duas mulheres na disputa e quase 200 candidatas disputam para Câmara Legislativa. A disputa pelo Executivo local não conta com nenhuma candidata, 
Para a deputada federal, Gorete Pereira (PR), o número de mulheres registrados pelos partidos ainda é baixo e corresponde apenas ao minimo exigido pela legislação que prevê cotas para as mulheres candidatas. "Ainda não deu tempo das mulheres se prepararem, os 30% foi aprovado recentemente, mas os partidos que não cumpriram o minimo serão penalizados", disse.
Pela legislação atual, o partido que não destinar o percentual definido para a campanha de uma mulher poderá não ter as contas anuais aprovadas. A rejeição implica ainda na devolução do dinheiro declarado irregularmente, acrescido de multa de até 20%.
Na avaliação da deputada cearense, a participação feminina na política só deve aumentar de fato com a aprovação da PEC 134/15 que tramita no Congresso e prevê a reserva de cadeiras para mulheres na Câmara Federal, nas Assembleias e Câmaras municipais."Precisamos aprovar essa matéria com urgência, para evitar o que ocorre hoje, cinco Estados brasileiros sem uma única mulher na Câmara. Espero que tenhamos, pelo menos, 10% de mulheres parlamentares.", declarou. 
Em entrevista recente ao Diário do Nordeste, a petista Luizianne Lins, também deputada federal, reconheceu que, embora no PT haja avanços conquistados pela militância feminina, a “falta de compromisso dos partidos com as mulheres” é realidade em várias legendas. Ela cita que, de acordo com o TSE, 14.417 mulheres não receberam nenhum voto nas eleições de 2016 no País, enquanto o número de homens não votados foi de 1.714. “Vários partidos têm claramente burlado a legislação com candidaturas-laranja fictícias, sem real chance de concorrência e efetivação”.
Luizianne, porém, destaca estar otimista quanto ao aumento da representatividade feminina nas casas legislativas nestas eleições, inclusive por acreditar que temas de interesse da população feminina serão colocados no debate eleitoral. “Essa é uma demanda já posta, não aceitamos mais a invisibilidade, cada vez mais ampliamos o alcance de nossas vozes”, sustenta.
Colaborou Ana Carolina Curvelo

Fm Progresso 97,9 A primeira do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário