busin
Cariri

Familiares e amigos protestam contra morte de adolescente em Juazeiro do Norte



“Saúde não se vende, se defende”, “Erro médico e mau atendimento também é crime”, “Estamos de luto. Queremos justiça”, diziam alguns dos cartazes trazidos por familiares e amigos de Sthefany Alves Duarte, de 15 anos, que morreu no último dia 19. O grupo de aproximadamente 30 pessoas protestou, na tarde desta terça-feira (26), contra a morte da adolescente que, para eles, foi vítima de negligência pelo Hospital Maternidade São Lucas de Juazeiro do Norte.
A caminhada iniciou em frente ao 2º Batalhão da Polícia Militar e seguiu pela Rua São Pedro – principal via comercial da cidade – em direção à Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, onde aconteceu sessão ordinária. Porém, os manifestantes não puderam usar o microfone. Além dos familiares de Sthefany, haviam outra mães que se diziam vítimas de negligência da unidade.
A dona de casa Damiana Alves, mãe da adolescente, disse que está muito triste com morte da filha. “Tudo que quero é justiça”, garante. Desde a semana passada, a mulher não se alimenta direito. “A vontade é de morrer também para estar perto de minha filha”, desabafa.
O caso
Sthefany Alves Duarte foi internada no dia 2 de fevereiro no Hospital Maternidade São Lucas, em Juazeiro do Norte, para dar à luz ao filho cinco dias depois. Após o parto, a garota começou a sentir dores, sangrar muito e sofrer febre. Mesmo assim, ela recebeu alta e voltou para casa. Dias depois, a jovem retornou, pois, os sintomas não passaram e, segundo Damiana, os médicos disseram que se tratava de gases intestinais.


(Foto: Reprodução)
Insatisfeitos com isso, os parentes levaram a adolescente ao Hospital São Vicente de Paulo, em Barbalha. Lá, foi feita uma ultrassonografia, que detectou uma infeção no útero de Sthefany. A jovem teve que passar por uma cirurgia de alto risco para a retirada do órgão.
Apesar de sofrer duas paradas cardíacas, conseguiu sobreviver à intervenção. Contudo, a infecção já tinha se espalhado pelo corpo da adolescente, que faleceu na Unidade de terapia intensiva (UTI) no último dia 19. No dia seguinte, em seu cortejo de sepultamento, dezenas de pessoas depredaram o São Lucas quando o corpo de Sthefany passava em frente à unidade médica, antes de chegar ao cemitério.
Em nota, o Instituto Médico de Gestão Integrada (IMEGI), que gerencia o Hospital Maternidade São Lucas, disse que irá abrir uma sindicância médica para apurar o ocorrido no caso da adolescente.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário