busin
Ciências e Saúde

Juazeiro do Norte está na escala de baixo risco para arboviroses



Em levantamento do último Índice Rápido Amostral (LIRA) do Governo do Estado do Ceará, Juazeiro do Norte foi verificado como município de baixo risco para arboviroses. O Núcleo de Controle de Endemias, da Secretaria da Saúde, vem desenvolvendo trabalho efetivo no controle vetorial e, consequentemente, na prevenção de dengue, zika e chikungunya, transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.
O LIRA é realizado quatro vezes ao ano, conforme preconiza o Ministério da Saúde. São coletadas amostras em locais e imóveis determinados pelo Estado, e de acordo com a quantidade de larvas encontradas é indicado o risco existente no município. Nos últimos anos o risco de Juazeiro oscilava entre médio e alto. Atualmente a situação está controlada e a terra do Padre Cícero apresenta baixo risco, apesar de ser uma cidade turística e com elevado contingente populacional.
A coordenadora do Núcleo de Controle de Endemias, Mascleide Feitosa, destaca as estratégias colocadas em prática pelo setor para alcançar esse resultado, como a intensificação da visita domiciliar pelos agentes de endemias nas áreas de maior risco. “O intervalo da visita dos agentes de endemias é de 45 a 60 dias. Nos pontos críticos eles vão a cada 15 dias”, explica.
Durante as visitas os agentes realizam o tratamento e eliminação de focos, com o telamento de caixas d’água descobertas, por exemplo. Além disso, realizam trabalho educativo e de orientação da população, para que a mesma saiba como evitar a proliferação de focos para reprodução do Aedes.
Outra importante estratégia é o trabalho de fiscalização de terrenos baldios realizado em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos (SEMASP), que possibilitou reduzir o número de pontos críticos de focos para o mosquito.
Com a redução dos focos, reduziu-se o número de casos de arboviroses. Em 2018 foram confirmados no Município sete casos de dengue e sete de chikungunya. Até o momento, não foi registrado nenhum caso em 2019. “É o controle vetorial sendo feito de forma correta, trabalhando a prevenção das doenças para que não acometam a população, promovendo saúde. Temos total apoio e suporte da gestão municipal e da Secretaria da Saúde para aprimorar cada vez mais este trabalho”, ressalta Mascleide.

Fonte: DN

Fm Progresso 97,9 A primeira do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário