busin
Ceará

Maia visita Ceará para pedir apoio de Camilo à reforma da Previdência



Na segunda visita a Fortaleza em 2019, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), se reuniu com o governador Camilo Santana no Palácio da Abolição para buscar apoio em torno da reforma da Previdência e adiantou que a votação pode ficar para o início de junho, assim como outras demandas de governadores, como a securitização e os precatórios. O Ceará foi o primeiro Estado visitado nesta caminhada.
A reunião durou pouco mais de uma hora, quando Maia expôs a necessidade do apoio cearense para a reforma previdenciária, cujo texto final será submetido ao presidente Jair Bolsonaro ainda em fevereiro.
"Não estou contando voto. O que estou fazendo é começando a conversar com os governadores, começando aqui pelo Ceará", disse, ao elogiar o chefe do Executivo apesar de divergências políticas. "Camilo é um grande amigo, me ajudou de forma pública e acho que é um Governo que é exemplo". Segundo Rodrigo Maia, iniciar a peregrinação no Ceará "é demonstração de agradecimento".
Maia chegou acompanhado de parlamentares do PDT, aliados de Santana, como Idilvan Alencar, Mauro Filho, Denis Bezerra e Robério Monteiro. O presidente estadual pedetista, André Figueiredo, também participou da reunião, assim como João Jaime e Chiquinho Feitosa, ambos do DEM, o presidente estadual do PSD, Domingos Neto, e o deputado federal do PP pernambucano, Fernando Monteiro.
Considerada a pauta central, a Previdência dividiu espaço na reunião com outras demandas cobradas por governadores, a citar o projeto 459/17, que permite aos gestores a venda de créditos que têm a receber de Dívida Ativa para instituições bancárias e financeiras, a chamada securitização de dívidas. A proposta já foi aprovada pelo Senado e aguarda apreciação da Câmara. Para os Estados, poderia elevar a capacidade de investimentos.
Projetos

"O que a gente quer é construir uma pauta. Claro que o foco principal é a (reforma da) Previdência, mas tem outras agendas dos governadores, dos estados da Federação, que precisam ser cuidadas nos primeiros meses", disse.

"Tem uma pauta, por exemplo, que ficou do ano passado, que foi a securitização, tem a questão dos precatórios. Tem uns quatro ou cinco temas de interesse dos governadores. A gente tem que organizar uma pauta de votações até a segunda quinzena de maio ou primeira de junho, que acredito que ali já tenha condições de votar a Previdência", afirmou.
Lei anticrime
O presidente da Câmara dos Deputados também abordou a tramitação do pacote anticrime, de autoria do ministro da Justiça, Sérgio Moro, na Casa Legislativa. O parlamentar não vê conflito com o conjunto de propostas apresentadas pelo ministro do STF, Alexandre de Morais, para endurecer a legislação penal no combate ao crime organizado. "Uma não vai atrapalhar a outra", argumentou Maia. As propostas devem tramitar paralelamente.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário