busin
Ceará

Antecipar compra do peixe para Páscoa pode gerar economia de 16%



A menos de trinta dias para a Semana Santa, o comércio de frutos do mar está ansioso para o momento que antecede o feriado. Nas vitrines dos boxes do Mercado dos Peixes, por exemplo, é possível encontrar os favoritos para cozinhar: cavala, tilápia, sirigado, cioba e camarão. Quem não tiver problema em estocar no congelador, pode aproveitar valores cerca de 16% mais baixos neste mês, segundo estimativas dos vendedores do Mercado dos Peixes.
De acordo com a administradora de um dos boxes, Vanessa Pereira, o peixe congelado dura três meses com qualidade. O padeiro Francisco Erivaldo Ferreira, porém, prefere adquirir com o mínimo de antecedência. "Comprei tilápia (para a ceia) em 2017 e, neste ano, também vou comprar na mesma semana do feriado para ficar fresco ainda".
Quem preferir adquirir o produto fresco deverá pagar cerca de R$2 a R$3 a mais pelo quilo na véspera do feriado, segundo estimam os vendedores. Para a tilápia, isso significa um aumento de 16% e para a cioba, de 8%. De acordo com a marisqueira Angelita Pereira, o aumento do que é cobrado dependerá do valor do fornecedor, de forma que ainda não se sabe ao certo quanto irá encarecer no período.
PeixePeixe
Preços
Em pesquisa realizada pela reportagem, na última segunda-feira (18), o sirigado era encontrado na faixa de R$27 o quilo. Já a tilápia, vendida por R$12 e a cioba, por R$25. A cavala teve a maior variação, oferecida entre R$25 e R$28.
O preço do camarão vai depender de acordo com o tamanho e origem. Por exemplo, em um mesmo box, o crustáceo pequeno e de cativeiro é vendido a R$25 o quilo. Quando maiores, o valor passa para R$ 40 o quilo. Se for grande, com produção no mar, sobe para R$ 70. Entre os mais vendidos está o de cativeiro, cujo preço médio encontrado no Mercado é de R$ 22.
Já quem quiser garantir o pargo no cardápio da Semana Santa deverá comprá-lo quanto antes e, em seguida, congelá-lo. Isso porque a espécie está em período de defeso e só deve retornar normalmente para o comércio depois do feriado e já está em falta em grande parte dos fornecedores. Apenas quem tem o produto guardado em estoque está autorizado a vender, sendo comercializado, em média, por R$ 25 o quilo.
Expectativas
Em 2018, embora tenha concorrido com um mercado informal na Beira-Mar, o vendedor Cosmo de Lima se surpreendeu com a movimentação intensa no Mercado nas vésperas do feriado no ano passado. "Na quarta e quinta-feira, estava bem desanimado, não tinha movimento. A gente estava com muito peixe e pensava que não ia vender nada. Quando foi de quinta para sexta, o pessoal veio. Tanto que eu fiquei cortando peixe sem parar das 7h até 20h".
Para 2019, o segmento espera superar as vendas de 2018. "O pessoal está comendo mais peixe, mudando a alimentação. Teve uma baixa três anos atrás, mas neste ano voltou a normalizar a compra do dia a dia, peixe está em alta", destaca o vendedor Mateus Lopes.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário