busin
Cariri

Crato amanhece chovendo e assusta moradores; ruas de Juazeiro do Norte serão recuperadas



Apesar de chover pouco no Crato, apenas 10 milímetros registrados entre as 7h de ontem e as 7h desta terça-feira (07), os moradores voltaram a temer um novo transbordamento no Rio Granjeiro. Na manhã de hoje, depois deste período contabilizado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), uma precipitação de três horas de duração voltou a banhar a cidade. Em Juazeiro do Norte, município vizinho, as ruas afetadas estão sendo recuperadas.
“A cada dia a gente fica mais amedrontada com as chuvas”, resume a empresária Rosane Brito. Em apenas algumas horas, o fio de um poste em sua rua, no Crato, caiu. “‘A gente vai ficar sem luz”, completa. Já o agricultor Elias Cariri da Silva acredita que se a chuva fosse um pouco mais longa, o canal do Rio Granjeiro voltaria a transbordar. “Já está todo mundo de alerta”, garante.
Isso aconteceu, na última quinta-feira (04), com a chuva de 130 milímetros que caiu no Município. Uma cratera que se formou na Avenida José Alves de Figueiredo, ao lado do canal, que continua sem reparos. A via está interditada. “No primeiro dia, vieram e trouxeram pedras, mas só foi isso. Foi só para mostrar ao povo. Desde então, não veio mais ninguém”, denuncia Rosane.


O secretário de Infraestrutura de Crato, José Muniz, informou as pedras foram colocadas para diminuir o processo de erosão que se aproxima de outras ruas e de uma escola particular. Este mesmo trabalho foi feito no final do canal, próximo do Mercado Walter Peixoto. Porém, por causa da chuva e do volume da água na estrutura, só é possível fazer obras emergenciais. “Material encharcado. Não tem condições de trabalhar”, explica.
No entanto, a Pasta está elaborando um projeto de recuperação da parede do canal nos dois pontos citados. Até quarta-feira, ele deve estar pronto e será encaminhado para o Governo do Estado. “A gente espera celebrar um convênio para adquirir recurso”, explicou.
A mesma dificuldade por contas das chuvas  acontece com parte da encosta do Seminário que desmoronou na última quinta-feira. A empresa responsável pela obra, inaugurada em 2015, vai recuperar o local. “Por enquanto, não pode fazer nada. Lá, não tem acesso de máquinas e manual. Nós já havíamos acionado a empresa, mas a chuva pegou o piso descoberto”, enfatizou Muniz.
Já em Juazeiro do Norte, choveu pouco mais de 9 milímetros no último período registrado pela Funceme. No entanto, com as precipitações da semana passada, vários pontos da cidade foram danificados. Desde o último domingo (07), foi iniciada a limpeza do canal na Rua das Dores, no bairro Salesianos, e o conserto da drenagem na Avenida Plácido Aderaldo Castelo, que se transformou um grande rio em pleno bairro Lagoa Seca.
As máquinas também realizam serviços na Avenida Padre Cícero, que viu o asfalto ceder após as chuvas e terá que passar por uma grande obra de drenagem, de cerca de 350 metros. Outra ordem de serviço será assinada para iniciar uma operação tapa-buracos nas ruas dos bairros Frei Damião e São José.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário