busin
Economia e Negócios

Industriais do CE formulam ações para desburocratizar processos


Celebrando, neste ano, seu primeiro centenário de criação, o Centro Industrial do Ceará (CIC), braço político da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), irá focar em ações voltadas para desburocratização e simplificação dos trâmites entre empreendedores e o poder público.
Para isso, foi lançado, no início deste mês, o Programa de Otimização, Eficiência e Inovação do Ambiente de Negócios do Ceará, cujo principal objetivo é a redução do tempo gasto com os processos governamentais relacionados ao setor produtivo. "A gente pesquisou muito como esse tema está sendo tratado em outros municípios, estados e países, e essa questão de ter um governo digital é crescente, com vários exemplos de como a relação do poder público tanto com o cidadão como com o empreendedor pode se dar de forma digital", diz André Siqueira, presidente do CIC.
Ele aponta que o programa prevê também a revisão e a atualização da legislação, buscando a redução de processos. "Isso vai gerar uma economia tanto para quem empreende como para o Governo", reforça.
Indicadores
O projeto também contempla a criação de indicadores de desempenho para os órgãos com inferência no setor produtivo. "Vamos levantar dados para saber quais são os maiores gargalos para quem empreende e, a partir daí, fazer um redesenho para que esses pontos possam ser automatizados", explica Siqueira.
De acordo com o presidente do CIC, cada órgão público terá um índice, que servirá de base para comparação com outros órgãos.
"Com isso, a gente vai poder entender como o Estado do Ceará está situado em relação ao ambiente de negócios. A ideia é que o Ceará seja uma referência nacional, quando se trata de ambiente de negócios", frisa André Siqueira.
Segundo Siqueira, a primeira fase do programa consiste num diagnóstico dos problemas enfrentados pelas empresas em relação à burocracia, que será obtido por meio de entrevistas com empresários. Em seguida, serão mapeados os processos dos órgãos governamentais; em um terceiro momento, criadas proposições para, na quarta fase, serem executadas.
Base de dados
O programa deverá utilizar uma base de dados unificada disponível em portal único. A iniciativa tem como parceiros estratégicos a Fiec e o Sebrae Ceará, o apoio da Fecomércio, Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL), Associação Comercial, Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), Sindilojas e Associação dos Jovens Empresários (AJE) Fortaleza.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário