busin
Ciências e Saúde

Rinite: casos podem aumentar no frio



O inverno chegou em muitas partes do Brasil e, com ele, a rinite. Mas qual a ligação da rinite com o frio? “O contato com o ar frio é irritante para a mucosa nasal e pode desencadear a coriza, obstrução nasal. Para quem tem rinite alérgica, onde a mucosa nasal já está inflamada, a reação ao frio pode ser ainda pior”, explica a otorrinolaringologista Renata Di Francesco.
A rinite é uma inflamação da mucosa do nariz. Alguns sintomas são frequentes, como nariz tampado, coceira e coriza. A pessoa também pode ter dor de cabeça e perda de olfato.
Para se prevenir da rinite, é importante evitar o contato com a substância que desencadeia a crise. Lavar o nariz com soro frequentemente também é importante para preservar a mucosa nasal e um preventivo para as crises.
E os purificadores de ar? Segundo Renata, eles são sempre bons, mas não melhoram a rinite alérgica. Já o ar condicionado não é indicado para quem tem rinite, pois pode ser um fator agravador. “Além disso, a má conservação e higienização dos aparelhos ainda levam a mais estímulos irritantes”, alerta.
Resfriado e rinite: a mesma coisa? A otorrino explica que não. “Os resfriados podem ser considerados rinites infecciosas, mas é muito diferente de rinite alérgica”. Resfriados comuns são causados por vírus. Já a rinite alérgica é causada por uma partícula proteica (pólen, ácaros) que causam sintomas semelhantes.
Toda rinite é alérgica? Isso é mito. A rinite pode ter várias causas e pode ser irritativa, alérgica, hormonal, medicamentosa, infecciosa por exemplo. Antes de começar o tratamento, é preciso identificar o tipo de rinite. A alérgica não tem cura. Já as outras rinites, sim – basta afastar os fatores irritantes (irritativa), tratar o quadro hormonal (hormonal), evitar medicamentos (medicamentosa).


radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário