busin
Tecnologia e Games

WhatsApp vai ficar indisponível para download na Microsoft Store


WhatsApp não fica mais disponível para download na loja Microsoft Store a partir desta segunda-feira (1). O fim do suporte para Windows Phone já havia sido anunciado pela empresa, e este é o primeiro passo para que o mensageiro deixe de funcionar completamente em todas as versões do sistema operacional – o que ocorrerá em 31 de dezembro deste ano, inclusive para os usuários de Windows 8 Mobile.
A decisão é decorrente do encerramento do Windows Phone pela Microsoft. A última versão da plataforma a ser extinta pela fabricante foi o Windows 10 para celulares, que teve a "morte" confirmada em outubro de 2017, apenas três meses depois do fim do Windows Phone 8.1.

Estes não são os únicos celulares que perdem o suporte ao WhatsApp. Foi decidido pela empresa que, após o dia 1º de fevereiro de 2020, o aplicativo deixará de funcionar em celulares Android 2.3.7 ou anterior, e iPhone com iOS 7 ou mais antigos. Uma decisão que afeta aparelhos como o Samsung Galaxy 3, o Galaxy Nexus, o Sony Xperia S, Nokia S40, Blackberry 10 e os iPhones 3G, 3GS e 4.
Isso significa que quem já possui o WhatsApp instalado conseguirá utilizá-lo normalmente até o final de janeiro de 2020. Porém, não será mais possível criar novas contas ou reverificar contas existentes em aparelhos com sistemas operacionais mais antigos.

Como descobrir a versão do seu sistema operacional

Para conferir se o seu celular será afetado ou não pela medida, basta verificar qual é a versão do sistema operacional. Em smartphones Android, acesse "Configurações", clique em "Sobre o Telefone" e procure a opção "Informações do software".
Aprenda a conferir a versão do seu Android — Foto: Reprodução/Fernanda LutfiAprenda a conferir a versão do seu Android — Foto: Reprodução/Fernanda Lutfi
Aprenda a conferir a versão do seu Android — Foto: Reprodução/Fernanda Lutfi
No iPhone, abra a opção "Geral", vá ao menu "Ajustes" e selecione a seção "Sobre" para conferir sua versão do iOS.

Fonte: G1

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário