busin
Fama

Juju Salimeni celebra sucesso em sua mansão: "Conquistei tudo na minha vida com o meio fitness"


Juju Salimeni desce com cuidado os degraus da escada de sua mansão de 590 metros quadrados em um condomínio de luxo em Alphaville, na Grande São Paulo. A apresentadora veste salto bem alto, um microshorts e uma camiseta com corselet, escolhidos pelo stylist Thiago Setra para o ensaio para QUEM. Apaixonada por moda – ela tem um closet com grifes como Chanel e Prada e cerca de 400 pares de sapatos –, a paulistana admite ter dificuldade para encontrar roupas que vistam bem suas pernas musculosas, o bumbum avantajado e a cinturinha de pilão.
“Todas as minhas roupas são sob medida ou são ajustadas. Tudo alinhado para o meu estilo de corpo. O Thiago tem as minhas medidas e sabe o que vai entrar, o tipo de tecido que cai bem... Tem coisa que eu não uso porque tem o perigo de rasgar. Quase todas as minhas roupas de academia, por exemplo, têm furos. Esses dias tinha um furo bem no meio da busanfa (risos). Não gosto de calça jeans. Até uso, mas precisa ser com elastano para eu poder sentar direito e com conforto. Às vezes, mesmo no frio, uso shorts para poder ficar com as pernas livres”, conta ela, atualmente com 32 anos.
Juju Salimeni tem dois closets em nova mansão (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Conquistar o corpo que lhe rendeu o título de musa fitness transformou a vida de Juliana Salimeni dos Santos Corrêa, filha única de um casal de administradores. Tímida e muito protegida pelos pais – sua primeira balada foi só aos 18 anos –, ela começou a ganhar confiança e gostar de suas curvas após entrar para a academia, aos 15.
“A vida toda fui bem magrinha. Era o meu estilo de corpo, genética. Mas não gostava em mim. Acho outras mulheres magras lindas, mas eu não me sentia bem. Então, queria mudar. Ia ao médico e pedia remédio para engordar, usava duas ou três calças ao mesmo tempo... Por muitos anos, não quis usar saia, shorts ou mostrar as pernas, que eu achava muito finas. Até que alguém me deu uma dica, quando eu tinha 15 anos, de fazer musculação. Foi aí que comecei a mudar meu corpo”, relembra ela, que durante um ensaio parou para comer uma de suas marmitas fitness.
Juju Salimeni começou a malhar aos 15 (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Para manter a boa forma, ela malha no mínimo cinco vezes por semana e não descuida da dieta. “Sou regradíssima faz mais de 15 anos. A minha vida é assim, para mim é natural. Por isso que funciona e dá certo. Não vejo nada de ruim em ser musa fitness porque não sinto a cobrança. Estou com o corpo assim porque eu gosto. Vou todos os dias para a academia. Antes eu treinava de fim de semana também, mas agora já me dou ao luxo de descansar. Treino uma hora e 20 minutos por dia. A alimentação é sempre a mesma, só mudo se tem um objetivo diferente, como o Carnaval ou um ensaio. Geralmente é a base de frango, arroz integral, macarrão integral, que coloquei na dieta há pouco tempo, ovos e carnes magras. Antes eu comia muita batata doce, mas peguei uma intolerância, tenho uma dor absurda no estômago. E é isso! Por ter começado a dieta aos 15 anos, tem coisas que eu nunca comi na vida, como rabanada.”
Com o corpo definido na musculação, Juju começou a ser chamada para fazer ensaios sensuais e chamou a atenção dos produtores do Pânico na TV, que a convidaram para ser assistente de palco da atração em 2008, ao lado de Nicole Bahls, Dani Souza, Lizi Benites Babi Rossi. Na época, Sabrina Sato fazia parte da equipe de apresentadores.
"Eu tinha um perfil um pouco diferente do das meninas (chamadas Panicats). No começo, eles me acharam muito grande. Pediram para eu emagrecer, mas eu disse que não rolava porque gostava e treinava para ser forte. Passou alguns meses e eles não me chamaram. Até que recebi o convite para fazer um período de experiência. Acho que eles precisavam tapar buraco de alguém que tinha saído (risos). Fui e no primeiro domingo que participei as pessoas perguntaram muito quem era a mulher grandona. Teve muito interesse do público! Não tinha muitas mulheres fortes, além da Feiticeira (Joana Prado), que era minha inspiração. Isso gerava curiosidade no público e foi interessante para eles. Acabei ficando no programa", conta Juju, que depois ainda foi repórter do Legendários.
Juju Salimeni conquistou a casa dos sonhos como musa fitness (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Atualmente, ela tem uma vida bem-sucedida como empresária. Além de ser a garota-propaganda de dezenas de produtos para boa forma e beleza, que ela divulga também em seu perfil no Instagram com mais de 14 milhões de seguidores, a loira tem um clínica de estética e é sócia de uma feira fitness, a Brasil Trading Fitness Fair, que no ano passado passou a marca de 70 milhões de negócios gerados. Juju também se prepara para estrear o reality Juju Boot Camp, que tem o objetivo de escolher uma nova musa fitness.
"Esse meio fitness cresceu junto comigo. Ele só abriu portas para mim. Atualmente, o meu trabalho é isso, falar de produtos que consumo em dieta, mostrar treinos, roupas que uso para malhar... Tudo em gira em torno disso. Todos os meus clientes estão ligados a esse meio. É como eu sobrevivo e ganho dinheiro. Conquistei tudo na minha vida com o meio fitness: carro, casa... Não tenho nem como me desvincular disso e nem pretendo. Eu amo esse meio, a minha rotina e o estilo de vida."
Por causa de tantos compromissos profissionais, Juju ainda não conseguiu fazer uma refeição sentada à mesa de jantar do novo lar, em que vive há três meses. A mansão tem quatro suítes, seis banheiros, piscina com ozônio, espaço gourmet completo com churrasqueira, forno para pizza e bar.
Juju Salimeni conquistou a casa dos sonhos como musa fitness (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Morando sozinha desde o fim da união de 14 anos com o fisiculturista Felipe Franco - com quem ela afirma manter uma relação apenas profissional -, Juju prefere passar as horas livres assistindo a séries em casa ou curtindo a companhia dos cães Julio e Tadeu, da raça Lulu da Pomerânia, e de Miguel, da raça Samoieda.
Sem pressa de ter um novo amor, a beldade conta que não entrou para aplicativos de relacionamentos e acredita que ser famosa e forte intimida os pretendentes.
"É muito estranho. Quando eu era solteira, anos atrás, eu era muito nova e era anônima. Era muito mais fácil. As pessoas as vezes falam: 'É famosa. Deve ter milhares de homens atrás!'. Não é nada disso. Os homens admiram, mas o meu perfil acaba intimidando e deixa os homens com receio. Hoje é mais difícil para mim por esta questão do medo dos homens e por não saber realmente quem é que vai estar interessado pela pessoa, não pela imagem ou pelo que pode receber com isso. Tenho que ter muita cautela. Mas estou no momento de nem pensar nisso. Decidi focar só no trabalho. Claro que se eu sentir vontade ou conhecer alguém, vou aproveitar. Estou aberta ao que Deus quiser", afirma.
Apesar de ser uma mulher forte fisicamente e na personalidade, Juju também enfrenta as suas fraquezas. Recentemente, ela dividiu com o público que sofria de depressão e já tinha tido crise de pânico.
Juju Salimeni conta que o físico e a personalidade fortes assustam alguns homens (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
"Começou há dez anos quando me vi em uma situação de polêmica, quando as pessoas começam falar muito de um assunto na internet. Sofri um baque. Nem sabia identificar o que era, mas comecei a ter sintomas físicos como taquicardia, não conseguia respirar, me dava sensação de desmaio... Tinha sempre essas crises. Ia para o hospital, eles faziam exames e não tinha nenhum problema, só o coração acelerado. Fui ao psiquiatra, ele me deu a lista de sintomas e eu tinha o coração acelerado, medo de morrer, medo de multidão... Comecei a tratar com remédio. Nunca mais tive crises e consegui me livrar da medicação. Fui viver tranquilamente", relembra ela.
A exposição e falta de liberdade fizeram com que Juju se isolasse e voltasse à enfrentar a depressão neste ano.
"Com o passar dos anos, por conta da exposição, comecei a me fechar muito. Não acho ruim as pessoas me pedirem foto, mas tem momentos que a gente não quer, quer realmente curtir. Passei a não poder ir mais a lugares que ia, como à praia. Essa restrição foi me afastando de amigos. Eu não era mais eu. Nem sei se sou ainda. Acho que não tem mais como voltar a ter aquela liberdade. Quando fui ver, estava muito isolada, não tinha ânimo de trabalhar, tudo me cansava muito, tinha muito sono, acordava já com sono... Percebi que os sintomas eram a depressão", diz ela, que melhorou após ajuda médica.
Juju Salimeni encontra na fé ajuda para enfrentar depressão (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
"Faz menos de dois meses que passei por isso. Procurei ajuda do médico, que fez mudanças na medicação. Estou bem. Percebi que a gente tem que fazer pela gente. A ajuda de todo mundo é importante. Tive ajuda de amigos e da minha mãe, mas eu precisava me ajudar sozinha, me salvar", finaliza ela, que corre para o quarto tirar o look grifado, o salto alto e colocar uma camiseta larga.
"Por mim teria feito o ensaio assim, do jeito que gosto de ficar em casa, mas a Thais não deixou", entrega, aos risos, sobre a escolha de sua assessora Thais Aline. "Quero em breve começar a fazer churrasco aqui, chamar amigos, usar mais a piscina e começar a curtir realmente o que eu sonhei para mim."
Como foi a sua infância em São Paulo?
Sou filha única e a vida toda fui o centro da família. Sempre me paparicaram e mimaram muito. Mas, ao mesmo tempo, me sentia muito sozinha em relação a amigos. Minha mãe sempre foi muito protetora e me deixou muito presa. Só fui realmente ir para uma balada quando tinha 18 anos. Antes disso, não fazia nada. Eu estudava bastante. Era meio nerdizinha. Meu primeiro namoradinho eu tinha 13 anos. Conheci no prédio de uma amiga minha. Mas não era nada demais esse namoro. Eu o via quando ia visitar a minha amiga. Não tinha esse negócio de ficar, de beijar... Fui ter um namorado mesmo com 16 para 17 anos, mas a minha mãe era muito protetora e ficava o tempo todo segurando. Tinha que namorar em casa. Nunca tive muita liberdade, saía com horário para voltar. Isso só foi acontecer quando comecei a trabalhar como vendedora de uma loja em um shopping. Comecei a ficar mais independente, mas morei com a minha mãe até eu me casar. Minha mãe está comigo até hoje, me ajudando e cuidando de mim e dos meus negócios. Por mais que tenha sido difícil essa proteção extrema, hoje vejo que a forma como que ela me criou foi a melhor e me ajudou a construir a vida que tenho hoje.
Juju Salimeni começou a malhar aos 15 (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Como foi a sua jornada até a TV?
Meu primeiro trabalho foi em uma loja de roupas no shopping. Fiquei um bom tempo neste ramo. Trabalhei em uma loja, depois em outra... Depois resolvi fazer faculdade de Administração. Só que durante esse tempo, outras oportunidades surgiram, como a de fazer feiras de negócios como recepcionista. Os horários começaram a ficar mais complicados e não consegui terminar o curso, só fiz um ano. Passei a fazer uma feira atrás da outra. Não tinha semana livre. Começaram a surgir propostas para ensaios sensuais legais. Um sensual sem ser vulgar. Fui fazendo e fiquei conhecida na internet. O pessoal do Pânico me viu em um desses ensaios e me chamou para um teste. Resolvi ir na seleção do programa, que eu assistia e adorava. Tinha as Panicats como referências, mas eu tinha um perfil um pouco diferente do das meninas. No começo, eles me acharam muito grande. Pediram para eu emagrecer, mas eu disse que não rolava porque gostava e treinava para ser forte. Passou alguns meses e eles não me chamaram. Até que recebi o convite para fazer um período de experiência. Acho que eles precisavam tapar buraco de alguém que tinha saído (risos). Fui e no primeiro domingo que participei as pessoas perguntaram muito quem era a mulher grandona. Teve muito interesse do público! Não tinha muitas mulheres fortes, além da Feiticeira (Joana Prado), que era minha inspiração. Isso gerava curiosidade no público e foi interessante para eles. Acabei ficando no programa.
Trabalhar na TV era um sonho?
Nunca liguei muito para TV, não queria, não era meu sonho. Meu sonho era trabalhar para poder ter as minhas coisas. Nunca fui de buscar a fama. Digo até hoje: 'não adianta buscar a fama e popularidade, isso vem para você quando tem que ser, vai acontecer'.
Juju Salimeni conquistou a casa dos sonhos como musa fitness (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Sua mãe aceitou de boa sua entrada para a TV?
Apesar dos meus pais serem muito controladores, depois que eu comecei a trabalhar, criei uma independência à força. Eu falava: 'Vou fazer e pronto'. Passei a não pedir tantas opiniões. Minha mãe também confia muito em mim, ela sabe as minhas opiniões, que sei fazer escolhas boas e rejeitar o que não é legal. Ela confia no que me ensinou e me apoia. Quando ela se aposentou, começou a cuidar da minha carreira. No começo, eu me virava sozinha, fazia meus eventos, mas fui muito roubada. Quando você é ingênua e é tudo novo, acaba tomando uns calotes. Nesse meio é bem difícil. Devo ter perdido mais de 500 mil reais. Depois disso, minha mãe começou a me ajudar para eu não ter mais esse problema e agora toma conta de tudo.
Como foi lidar com a questão do assédio?
A gente escuta muita história de assédio, abuso e constrangimento. Eu sempre tive um jeito mais durão. Já sou mais fechada. Para a pessoa chegar até mim e ter coragem de falar alguma coisa é bem difícil. Pouquíssimas vezes na vida escutei alguma coisa. Acho que pelo meu tamanho, o cara fica meio assustado. Já teve vezes, na época do Pânico, em que estava em festa e veio um cara passar a mão de mim. Virei e bati, dei porrada mesmo. Não tenho medo! O cara já pensa dez vezes antes de fazer alguma coisa. Também aprendi a me blindar. Infelizmente, quando a mulher tem corpão e trabalha com a sensualidade, se chega em um ambiente e é muito aberta, as pessoas podem tomar certas liberdades. Comecei a ser mais reservada e séria. Nunca tive problema com o assédio. E quero que os homens continuem com medo mesmo porque se vier, tem.
Juju Salimeni tem dois closets em nova mansão (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Você já deve ter sofrido preconceito ou ter ouvido muitas críticas por ser uma mulher musculosa...
No começo ouvia, mas hoje em dia não. O mercado fitness cresceu muito e hoje quase todo mundo pratica alguma atividade física. Não me importo com a opinião dos outros, sempre fiz isso por mim. A minha vontade de mudar o meu corpo era e é tão grande que não me importo se as outras pessoas vão ou não gostar. Eu sei que agrado meus fãs e a maior parte das pessoas me admiram por isso. Eu gosto de mim assim. Vou de acordo com o que vejo no espelho. Se eu gostei, ok.
Você nunca tem o dia em que não está com vontade de treinar?
Isso tem. Na verdade, quase todo dia não vou feliz para a academia. São tantos anos de treino, que tem uma hora que cansa. Mas isso é um hábito na minha vida. Se eu não treino é como se eu não tomasse banho, não escovasse o dente. É obrigação! Não me vejo não fazendo e eu gosto de ter uma rotina tanto de treinos quanto de dieta. Se eu não mantenho essa rotina, daí fico mal e chateada. Para mim é natural.
Juju Salimeni conquistou a casa dos sonhos como musa fitness (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Você ficou confinada para fazer o programa Juju Boot Camp. O que essa experiência te ensinou?
É um reality de mulheres que foram colocadas em um ambiente militar. Tudo só focado no universo feminino. Isso é muito legal nesta época de empoderamento e força feminina. Foi um sonho e projeto que eu já tinha, que foi adaptado para o reality. É uma competição entre as meninas que tem o objetivo de encontrar uma nova musa fitness. Mas essa menina não é só a forte, que pega peso. É um conjunto. Demanda muito mais a força psicológica para enfrentar os desafios. É um mergulho em você mesma. Foi um aprendizado para mim. O primeiro dia de gravação foi bem forte, eu nunca tinha lidado com tanta emoção. Elas estavam ali se esforçando e sofrendo. Me vi muito nelas, relembrei o meu começo. Chorei muito! Depois entrei no clima. Ficamos quase um mês no meio do mata, não tinha sinal de nada, estava isolada do mundo. Ficou muito melhor do que a gente imaginava. Estreia daqui uns dois meses. É um programa diferente de tudo o que você já viu. São mulheres fazendo muito mais do que qualquer homem faria.
Sua casa tem muitas referências à espiritualidade, como as imagens de Iemanjá e a Bíblia. Como isso te ajudou a enfrentar a depressão?
Eu tenho imagens de Iemanjá espalhadas pela casa inteira. Quem quiser me dar de presente, por sinal, eu amo a Iemanjá. Desde criança sinto essa conexão com ela e com o espiritismo. Me encontrei assim. Não digo que sou de uma determinada religião porque eu gosto de tudo que possa me fazer bem e me leve a Deus. Acredito que todas levam. Então, vou à igreja evangélica, ao centro espírita, à igreja católica, ao terreiro. Na época da depressão mais grave, alguns meses atrás, busquei ajuda em todos os lugares. Tenho certeza que isso foi muito importante. Foi quando visitei pela primeira vez uma igreja evangélica maravilhosa, que uma amiga minha me levou. Foi incrível. A energia era maravilhosa. Também estive em terreiro, fiz limpezas espirituais. Tudo que eu pode me ajudar neste momento, busquei. Foi essencial me conectar mais com essa parte espiritual para que eu tivesse mais força.
CRÉDITOS
Fotos: Rafael Cusato
Vídeo: Matheus Petti
Stylist: Thiago Setra
Beauty: Douglas Muniz (Douguinho)
Assessoria: Fio Condutor
LOOKS:
Camiseta Mariah: camiseta Korova, corselet Rosa Chá e sandália Rosa chá
Pink e laranja: top Ella by Pamella, calça Vicunha e sandália House of CB
Vestido branco: Ella by Pamella e scapin Louboutin
Body: A.role, shorts acervo e sandália Schutz
Juju Salimeni tem dois closets em nova mansão (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Juju Salimeni encontra na fé ajuda para enfrentar depressão (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Juju Salimeni conquistou a casa dos sonhos como musa fitness (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Juju Salimeni conta que o físico e a personalidade fortes assustam alguns homens (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Juju Salimeni conquistou a casa dos sonhos como musa fitness (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Juju Salimeni conquistou a casa dos sonhos como musa fitness (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Juju Salimeni conquistou a casa dos sonhos como musa fitness (Foto: Rafael Cusato/QUEM)
Casa de Juju tem seis suítes (Foto: Rafael Cusato/QUEM)

Fonte: G1

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário