busin
Cariri

Ladies Beer abre novo mercado ao reunir dezenas de mulheres para "tomar cerveja"


Ladies Beer abre novo mercado ao reunir dezenas de mulheres para "tomar cerveja" (Foto: Assessoria de Imprensa da Confraria Ladies Beer)
Em 30/08/2019 às 16:30
Não é sempre sobre cerveja, mas é sempre com cerveja. Esse é o lema da confraria Ladies Beer, grupo feminino que reuniu 33 mulheres para uma imersão no universo cervejeiro em seu primeiro encontro, em Juazeiro do Norte, nesta quinta-feira (29). O encontro contou com degustação de cinco cervejas artesanais, palestra sobre a história da cerveja, troca de experiências entre as participantes e apresentação artística de Débora Lopes.

Ladies Beer nasceu de uma conversa de bar entre três amigas. Kylvia Cordeiro, Huanda Pontes e Mabel Maia degustavam uma Sour quando decidiram organizar uma experiência semelhante para outras mulheres. “Que experiência seria essa? Tomar uma boa cerveja, conversar com amigas, ter esse momento de relaxamento, de esquecer os problemas e se sentir livre”, contou Kylvia em entrevista ao Site Miséria.

A degustação de cervejas artesanais é uma experiência sensorial que vai além de "beber cerveja", requer conhecimento e orientação profissional. Durante o encontro, os rótulos chegavam à mesa enquanto a sommelièr Kylvia Cordeiro discursava sobre a história da cerveja e sua relação com a história das mulheres, primeiras responsáveis pela produção de cerveja no mundo. Ao todo, cinco cervejas artesanais foram degustadas na noite: Pilsen, Berliner Weisse, Weiss, Session IPA e Stout.
Participantes degustam e analisam as cervejas artesanais da noite (Foto: Izabelly Macêdo/Agência Miséria)

Para a professora Alana Kellen, de 39 anos, o primeiro encontro da Confraria superou todas as expectativas. “Eu pretendo continuar frequentando, pois foi uma noite de conhecimento e degustação”, declarou. Alana foi convidada para o evento pela amiga Elane Galvão, que defende a continuação dos encontros. “Por que não a mulher ter conhecimento a respeito da história, ter conhecimento do paladar, de saber a diferença, de saber a origem? Por que não?!”, questionou Elane.

O universo cervejeiro é muitas vezes interpretado como um universo masculino. Iniciativas como o Ladies Beer tem provado o contrário. “A gente só tá buscando por um lugar que já é nosso. Nós podemos ser o que quisermos, inclusive cervejeiras”, defende Kylvia. 

A idealizadora explica que as mulheres são apresentadas a vida toda às mesmas cervejas como se elas fossem as únicas opções de consumo. “A cultura cervejeira entra forte para mostrar a cerveja artesanal é de todos e que são todos muito bem-vindos”, finaliza.

Os próximos encontros do Ladies Beer já estão sendo planejados e possuem fila de espera. “Temos a ideia de chamar uma nutricionista, uma psicóloga, uma profissional de dança”, revelou Kylvia Cordeiro. Para a idealizadora, cerveja não é o fim, é o meio. “A cerveja é uma maneira de interagir, de unir todas nós, para que possamos ter de fato a busca por algo maior”, explicou a sommelièr, que até então não havia degustado cerveja apenas entre mulheres. O feminismo e o empoderamento são alguns dos pontos debatidos pela confraria.

Com contribuições da jornalista Izabelly Macêdo


Por Sarah Gomes
Miséria.com.br

Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário