busin
Cariri

Festa da Padroeira: Cavaleiros e amazonas prestam homenagens a Nossa Senhora das Dores




Por: Aline Salustiano

Na manhã de hoje, 31 de agosto, cavaleiros e amazonas, de várias cidades que fazem parte da região metropolitana do Cariri reuniram-se,  ao lado do Ginásio Poliesportivo, para participarem da III Cavalgada da Mãe das Dores. O evento, que faz parte dos festejos da padroeira de Juazeiro do Norte, teve início às 6h e percorreu algumas ruas do município.
Em sua terceira edição, a Cavalgada da Mãe das Dores recorda o tempo em que os homens simples percorriam as estradas dos estados nordestinos para chegarem à Cidade de Juazeiro do Norte, a cidade do Padre Cícero Romão. 
Segundo o pároco/reitor da Basílica Santuário, Padre Cícero José da Silva, a carreata também acontece em homenagem ao povo romeiro da Diocese de Crato. “A Cavalgada da Mãe das Dores é uma homenagem aos primeiro peregrinos que chegaram a cidade de Juazeiro do Norte. Romeiros que chegavam a cavalo dos diversos estados do Nordeste. Ela é também uma homenagem ao nosso povo, o povo da nossa Diocese de Crato que deu início as romarias em nossa cidade. É uma forma de pedirmos sempre a proteção da Mãe de Deus para centralizarmos a nossa fé no Sagrado Coração de Jesus”, enfatizou.
Este ano os participantes, que foram recepcionados com um café da manhã, assistiram a uma apresentação cultural do Teatro de Mamulengo que interpretou a Saga do Vaqueiro Raimundo Jacó e, logo em seguida, saíram em cortejo com a imagem da Padroeira de Juazeiro do Norte, que foi conduzida em um carro de boi.
Após a chegada na Praça do Romeiro, os animais, vaqueiros e cavaleiros receberam a benção que foi proferida pelo padre Cícero José da Silva e, em seguida, participaram de uma entrega de brindes promovida pela organização do evento.
Devoção 
Para a senhora Maria Auxiliadora Gonçalves, que participou pela terceira vez com toda a família, a Cavalgada da Mãe das Dores é um momento de pedir proteção à Nossa Senhora. “Logo que a Cavalgada começa a ser anunciada eu e minha família nos organizamos para participar. O meu marido e meus filhos participam de vaquejadas e hoje pedimos a Nossa Senhora proteção para seguir em frente”, colocou. 
Já para o senhor José Tavares Leite, que veio  da cidade de Brejo Santo, participar da Cavalgada significa fortalecer a fé.  “Sou devoto da Mãe das Dores e gosto de vaquejada. Saímos de Brejo Santo às 3h com o carro e os bois, que conduziram Nossa Senhora das Dores. Fico muito satisfeito em participar desse momento. A fé nos dá força para estarmos hoje aqui”, finalizou.    
Preocupação com os animais
A Cavalgada da Mãe das Dores aconteceu em parceria com a Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte e, além da parte espiritual, conta com o cunho educativo ao que se refere ao trato aos animais. “Nós tomamos todos os cuidados com os animais. Foi montado um esquema que conta com veterinários, engenheiros agrônomos e técnicos agrônomos. Essa cavalgada tem o cunho educativo em relação ao trato com os animal que eles sejam bem cuidados pelos seus donos” disse o Secretário de Agricultura e Abastecimento de Juazeiro do Norte, Romão França.
A III Cavalgada da Mãe das Dores aconteceu em parceria com a  Prefeitura de Juazeiro do Norte, através das secretarias de Agricultura e Abastecimento, Turismo e Romaria, da Autarquia de Meio Ambiente  (Amaju), Secretaria de Segurança Pública e Cidadania (Sesp) através da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e o Departamento Municipal de Trânsito (Demutran)

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário