busin
Economia e Negócios

Para indústria de cimento, pior momento "já ficou para trás"



Cimento Apodi apresentou nova tecnologia que tornará produção mais eficienteFoto: José Leomar
A lenta recuperação da economia e, consequentemente, do setor da construção civil vem impactando negativamente a indústria do cimento por mais tempo do que previsto. Mas apesar dos resultados esperados para 2019 estarem abaixo da expectativa, há uma percepção de que o pior momento ficou para trás. "O mercado está aguardando a conclusão dessas reformas mais estruturais", avalia Adauto Farias, presidente da Cimento Apodi.
O executivo avalia que enquanto a construção civil não tiver um crescimento consistente, o setor continuará sofrendo com o aumento dos custos operacionais e com a redução do preço do cimento.
"A Apodi, dentro desse mercado, está sofrendo ainda com esse crescimento baixo. Mas nós temos plena confiança de que o País retomou o caminho do crescimento", diz. De acordo com Farias, a empresa está se preparando para um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do País em torno de 3% para os próximos anos.
Apesar do otimismo, a avaliação é de que a indústria cimenteira ainda apresentará números ruins neste ano. "Tanto os volumes como os preços caíram drasticamente na indústria do cimento, causando prejuízos enormes, não apenas financeiro, mas para milhares de pessoas que perderam os empregos na indústria nessa crise", diz Farias.
"Acredito que a maioria das empresas ainda vão operar no prejuízo. Baseado nos balancetes trimestrais, os números continuam negativos", aponta o empresário. Ainda assim, a expectativa é de que a produção da unidade do Pecém cresça 15% neste ano. Segundo Farias, os preços praticados hoje são os mesmos de dez anos atrás, sem considerar a inflação. Hoje, cerca 70% da produção da Apodi é direcionada ao consumidor final.
Nova tecnologia
Ontem (24), a Apodi apresentou um projeto de inteligência artificial voltado para otimi-zação da produção de cimento, com economia do consumo de água e de energia. Segundo Thiago Giampietro, consultor de automação e integração da Apodi, a empresa estima reduzir os custos de produção de 5% a 10%, com aumento de até 10% da capacidade de produção.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário