busin
Esportes

Ceará faz jogo da vida contra o Fluminense na Arena Castelão


Toda partida é importante na Série A do Brasileiro, mas o confronto com o Fluminense, hoje, é imprescindível para a sobrevivência do Ceará fora da zona de rebaixamento. Na Arena Castelão, às 21h30min, as equipes se enfrentam em um jogo que ultrapassa os 90 minutos de importância.
O caráter de decisão está explícito na tabela. Passadas 28 rodadas, a pontuação é a mesma (30) com o Vovô ocupando a 15ª posição, uma à frente dos cariocas devido saldo de gols: -2 contra -10. Ambos estão no limiar da classificação, apenas um ponto a mais que os integrantes do Z-4.
Nesse cenário de pressão, o Ceará necessita de um empate para permanecer distante dos últimos quatro colocados por mais um jogo. Caso seja derrotado, pode ingressar de vez na parte baixa se o Cruzeiro, que está em 17º, com 29 pontos, ganhar o confronto com o Botafogo, no Engenhão.
Números que expressam o quão direto é o confronto, até pela sequência alvinegra no encerramento do Brasileirão: Palmeiras (F), Internacional (C), Fortaleza (F), Chapecoense (F), São Paulo (C), Flamengo (F), Athletico-PR (C), Corinthians (C) e Botafogo (F).
Então uma vitória sobre o Fluminense surge como oportunidade de respiro e confiança. Mesmo tendo encerrado o jejum de resultados positivos, o técnico Adilson Batista ainda não conta com o respaldo pleno do torcedor, assim como o desempenho da equipe em casa não é o ideal, com aproveitamento de 52,4%.
Sem ter conseguido repetir uma escalação sequer desde a chegada em Porangabuçu, totalizando seis jogos, o novo comandante já cravou um nome entre os titulares: Bergson. Autor de gols diante de Avaí e Vasco da Gama, o centroavante ganhou a posição de camisa 9 e muda a formação alvinegra para o 4-2-3-1, com uma trinca de meias para lhe auxiliar no setor ofensivo.
"Importante a gente deixar claro que existe um modelo, existe uma forma de jogar. Ela foi mudada um pouquinho em relação ao Enderson, mas está mantendo esse modelo. O Bergson ganhou confiança e inicia o jogo. Pelo fruto do trabalho, pelo posicionamento, por saber ocupar um espaço importante. Tem presença como o (Felippe) Cardoso. Pensei em colocar os dois contra o Vasco", explicou Adilson.
A entrada de um atacante de área indica um Ceará que vai pressionar e tentar abrir o placar desde o primeiro minuto. A expectativa é que Ricardinho, mesmo recuado, possa flutuar na armação junto de Galhardo e Felipe Silva. Desta forma, tentando concentrar as ações no campo de defesa tricolor, o Alvinegro de Porangabuçu pretende anular o adversário, segundo clube que mais troca passe no Brasileirão com média de 494 por jogo.
Quem está fora do confronto são o zagueiro Tiago Alves, o meia Lima e o atacante Juninho Quixadá. Titular com Adilson, o defensor sentiu dores no joelho direito e cede lugar ao companheiro Valdo.
Já o meio-campo foi ausência nos treinamentos da semana por conta de uma conjuntivite, enquanto Quixadá sentiu incômodo na coxa direita, fez tratamento na academia e será poupado para se recondicionar fisicamente.
Estratégia alvinegra
O Ceará pretende explorar as laterais do campo, sempre priorizando os avanços de Fabinho, escalado como ponta. Com Bergson, a estratégia é utilizá-lo como pivô para facilitar o avanço das linhas e atrapalhar a saída de bola do Fluminense. Mesmo que a necessidade seja grande pelo resultado, a expectativa é que o time apresente organização e compactação durante a partida, apesar da pressão da arquibancada.
"Às vezes, não precisa ter essa pressa. No momento que o adversário está em cima, tem que jogar junto, não criar a ansiedade no elenco. O jogo tem 100 minutos, com momentos que você vai ou não bem. A torcida do Ceará é calorosa, fervorosa e apaixonada. Espero a ajuda deles", afirmou Adilson.
Como composição tática, o Vovô tem duas variações principais: ascender outro centroavante (Felippe Cardoso) ou implantar velocistas (em referência ao jogo diante do Bahia). O treinador costuma realizar até duas substituições antes dos 15 minutos do 2º tempo, tendo esboçado as duas alternativas na última atividade antes do jogo, no CT de Porangabuçu.
Leandro Carvalho, Wescley e Felippe Cardoso devem entrar em campo para acelerar as transições entre ataque e defesa a fim de furar o bloqueio carioca, que atua com cinco peças no meio-campo. A desvantagem numérica no setor, inclusive, pode justificar a entrada do volante Pedro Ken se o placar estiver inaugurado.
A tônica da marcação por setor vai exigir um desgaste maior de Galhardo, que se posicionará ao lado de Bergson para readequar o sistema ao 4-4-2 quando estiver se defendendo. O plano é forçar o erro do Flu, 4º time que mais perde a bola na competição.
Histórico favorável
Não bastasse o apoio das arquibancadas, o Ceará também traz como arma surpresa do confronto uma invencibilidade de três partidas, todas no Brasileirão. Se os dados não interferem diretamente no resultado, expõem um Vovô que sabe se comportar diante das características do Fluminense.
No 1º turno, ainda sob o comando de Enderson Moreira, o Ceará se portou com valentia no Maracanã e teve um triunfo impedido por interferência do árbitro de vídeo (VAR). Atrás no marcador, deixou tudo igual com uma bicicleta de Tiago Alves e quase obteve a virada, quando o atacante Mateus Gonçalves mandou para o fundo da rede, em tento anulado.
O último revés também se consolida como um tabu, já que completou nove anos desde o embate no Estádio Presidente Vargas (PV), por 2 a 1. No retrospecto geral, todavia, os cariocas carregam uma leve vantagem: são cinco vitórias cearenses, cinco empates e nove derrotas.
Visitante modificado
O Fluminense desembarcou na capital cearense ontem, durante a tarde, e não teve tempo hábil para treinar. Sem vencer há três jogos e próximo do Z-4, o técnico Marcão confirmou o retorno do meia e capitão Paulo Henrique Ganso entre os titulares, auxiliando na armação com Nenê e Daniel.
A outra mudança significativa também está no setor. Como Allan, responsável pela saída de bola, está suspenso, a opção da comissão será pelo substituto imediato Yuri, atleta com poder de contenção.
No plantel, as demais baixas são a dupla de zagueiros Matheus Ferraz, que se recupera de cirurgia no joelho esquerdo, e Mascarenhas, com contusão no joelho direito.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário