busin
Cariri

HRC foi o que mais reciclou resíduos dos Hospitais Regionais no interior do Ceará


Das três unidades dos Hospitais Regionais do interior Estado, localizados em Sobral, Quixeramobim e Juazeiro do Norte, o equipamento caririense foi o que mais reciclou resíduos hospitalares. Ao todo, o Hospital Regional do Cariri (HRC) gerou economia anual de R$ 12 mil, reciclando um total de de 26,5 mil toneladas de lixo hospitalar desde quando o processo foi iniciado, em 2016.
Os dados foram divulgados através de pesquisa feita pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), que nos três centros hospitalares do interior cearense deu destinação adequada a 51 toneladas de resíduos sólidos. EM julho deste ano denúncias identificaram resíduos hospitalares nos municípios de Barbalha e Quixeramobim, levantando dúvidas sobre a efetividade da ação.
Entretanto, a pesquisa detém de forma minuciosa o total descarte destes resíduos, sendo fiscalizados pelo próprio ISGH e pela Secretaria de Saúde do Estado. A legislação brasileira prevê uma série de critérios a ser observados no processo de descarte e reciclagem destes materiais. Isso inclui desde a separação do material, ainda na unidade de saúde, até o transporte.
Nos três maiores hospitais do interior do Estado, essa adequação virou realidade. As unidades de saúde iniciaram um processo de gestão sustentável, cujo foco é a captação e destinação correta dos resíduos sólidos produzidos.

Resultados

No HRC, em Juazeiro do Norte, o processo iniciado e m 2016 dá resultados positivos. Dois anos após início da gestão de resíduos hospitalares, mais de 26 mil toneladas foram processadas e recicladas.
Já em Quixeramobim, o Hospital Regional do Sertão Central (HRSC) começou a aplicar o modelo de gestão ambiental em agosto de 2017, sendo que no ano seguinte foram recicladas mais de 16 toneladas. O Hospital Regional Norte (HRN), por sua vez, iniciou o processo no ano passado e, somente nos seis primeiros meses deste ano, a unidade enviou para o destino correto mais de 14,5 toneladas de lixo.
Nos primeiros seis meses deste ano, juntos, os três centros hospitalares administrados pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) recolheram e deram destinação adequada a 51 toneladas de resíduos sólidos.
De acordo com os levantamentos feitos pelas comissões de gerenciamento de resíduos dos três hospitais, este número representa praticamente o dobro do lixo reciclado durante todo o ano de 2018.
Em valores, a redução de gastos foi considerável. o HRSC foi que teve maior saldo, somando R$ 13 mil de economia anual em gastos com descarte de material hospitalar. EM seguida vem o HRC, com R$ 12 mil de economia anual, e por último o HRN, somando R$ 11 mil.
Fonte: Diário do Nordeste (adaptado) badalo.com.br



radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário