busin
Ciências e Saúde

Bicho geográfico aparece mais nos pés, bumbum e costas




Você já ouviu falar de bicho geográfico? É uma doença de pele causada por uma verminose, a larva migrans. Ele pode dar em qualquer ambiente que tenha areia, grama, mas a praia é o lugar mais crítico, porque tem animais, crianças, adultos brincando direto na areia, com contato direto com o solo, que não tem como evitar.
O parasita está no intestino e nas fezes de cães e gatos e se hospeda na pele dos humanos, causando irritação e coceira. “Essa doença de pele é causada por uma larva que a gente pega na contaminação do solo. O cachorro ou gato, quando estão contaminados com essa verminose, eles vão eliminar os ovos nas fezes. Esses ovos, quando caem no solo, viram larvas. São elas que penetram na pele”, explica a dermatologista Alessandra Romiti.
A doença é simples porque a larva não consegue penetrar a fundo. Ela caminha por baixo da pele. Os lugares mais comuns de aparecer o bicho geográfico são os pés, bumbum e costas, mas qualquer área do corpo pode ser contaminada.
A dermatologista lembra que não é qualquer cocô de cachorro ou gato. Precisa estar contaminado. “O animal precisa estar com a verminose”, alerta.
Na maioria dos casos, o bicho geográfico some de quatro a oito semanas. Entretanto, os sintomas são incômodos e muita gente busca tratamento. O tipo de tratamento depende do estágio da doença.
Sintomas do bicho geográfico — Foto: Arte/TV GloboSintomas do bicho geográfico — Foto: Arte/TV Globo
Sintomas do bicho geográfico — Foto: Arte/TV Globo

Sintomas do bicho geográfico

  1. Coceira
  2. Vermelhidão
  3. Lesão com o trajeto da larva

Cuidados antes e depois

  • Evite andar descalço em ambientes com muita movimentação
  • Cuide da saúde dos seus animais - a grande preocupação é com os bichos não saudáveis, não vermifugados
  • Não leve seu animal de estimação à praia
  • Lave os pés com água fria depois de andar descalço na praia ou terrenos que podem abrigar ovos do bicho geográfico
  • Cuide da sua higiene e lave sempre as mãos
  • Não se automedique – procure um especialista para tratar o bicho geográfico
Logo podcast Bem Estar - matéria — Foto: Comunicação/GloboLogo podcast Bem Estar - matéria — Foto: Comunicação/Globo
Logo podcast Bem Estar - matéria — Foto: Comunicação/Globo

Ouça o podcast do Bem Estar

O Bem Estar agora tem um podcast. Toda quarta-feira um novo assunto sobre saúde e qualidade de vida.
Você pode ouvir Bem Estar no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga Bem Estar para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.
Fonte: G1

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário