busin
Cariri

Juazeiro do Norte apresenta aumento de quase 45% em exportações


Foto: Antonio Rodrigues
O município de Juazeiro do Norte terminou 2019 com um aumento de 44,65% nas exportações, em relação ao ano anterior. No período, foram vendidos US$ 690.701,00 em produtos, enquanto 2018 fechou com US$ 477.507,00. Os itens mais comprados da terra do Padre Cícero são calçados, que sozinhos atingem US$ 467.561. O comércio exterior também adquiriu US$ 49.904,00 em extratos tanantes e tintoriais, taninos, pigmentos e derivados.
A Argentina foi o país que mais exportou produtos fabricados no município: US$ 224.536. Isso representa um aumento de 28,8% de compras argentinas em relação a 2018. Já o Peru foi segundo maior comprador com US$ 121.656, um aumento de 1529,7%. Os produtos de Juazeiro do Norte também foram vendidos para Tailândia, Bolívia, Paraguai, Colômbia e Costa Rica.  
O titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Juazeiro do Norte (Sedeci), Michel Araújo, acredita que, nos últimos anos, os empresários locais têm visto o mercado internacional como uma alternativa para a crise econômica. “Quando o mercado dá uma desaquecida, busca através do exterior uma forma de não perder a produção”, enfatiza.  
Michel reforça que este aumento já acontece desde 2017 e que, nos últimos anos, tem-se ampliado as fronteiras. “A gente quer, agora, exportar não apenas para a América do Sul, mas viabilizar, através de parcerias com governos Estadual e Federal, o mercado para o restante da América Latina, Europa e África”, acrescenta.  
O empresário do setor calçadista, Abelito Sampaio, explica que o transporte destes produtos acontece de forma terrestre e que os custos não chegam a ser tão altos já que os clientes fretam um caminhão para várias fábricas. Por outro lado, acredita que o mercado seria expandido se as obras da ferrovia Transnordestina fossem concluídas. “Outra logística. Iria baratear o preço e poderia se tornar mais viável”, acredita.  
Apesar de positivo este crescimento, este número ainda representa uma pequena parcela do comércio exterior de todo o estado do Ceará, apenas 0,03%. As distâncias para o Porto do Pecém e para Porto de Suape (PE) impedem que os empresários do Cariri tenham um mercado mais competitivo.  
O diretor da Indústria da Sedeci, Piedley Macedo, acredita que a perspectiva para 2020 continua sendo positiva, sobretudo para os calçados. “A economia está começando a se reestruturar”, reforça. Ao longo do ano passado, a Pasta desenvolveu eventos para estimular os empresários a buscar o mercado exterior. “Além de visitas pontuais para mostrar a viabilidade das exportações”, completa o diretor.  
Importações
Se por um lado, as exportações cresceram, o número de importações, em 2019, caiu 24,96% em relação ao ano anterior. O município de Juazeiro do Norte comprou US$ 4.016.210,00, em 2018, enquanto no ano passado fechou com 3.013.724,00. Dois terços deste valor foi investido na compra de papel ou derivados de celulose, que são matéria-prima para gráficas do município. A maior parte (US$1.132.278) foi adquirida da Espanha.  

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário