busin
Tecnologia e Games

Proibido no FIFA 20: veja práticas que dão 'ban' no jogo de futebol



FIFA 20, game de futebol mais recente da EA Sports, tem uma série de ações proibidas. As regras se aplicam aos players casuais e profissionais e buscam garantir uma jogabilidade mais justa e divertida. Ao descumprir as normas do FIFA, o jogador pode ter a remoção de suas estatísticas do FUT Champions, o modo competitivo no UT, e de suas moedas. Em alguns casos mais graves, o jogador "trapaceiro" pode ter a sua conta suspensa ou ser banido para sempre dos servidores e dos torneios do jogo. As normas, no entanto, são válidas em qualquer modo do jogo.
No último dia 17, por exemplo, o brasileiro Ícaro "IPRezende" Rezende, da R10 Team, equipe de E-Sports do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho, foi banido. O jogador se envolveu em transferências de moedas de uma conta para outra no Ultimate Team, o que é proibido, e só poderá voltar ao cenário competitivo do game no próximo FIFA. Confira, a seguir, outras práticas proibidas no FIFA 20.
Veja ações proibidas que podem dar banimentos eternos no FIFA 20 — Foto: Divulgação/EA EsportsVeja ações proibidas que podem dar banimentos eternos no FIFA 20 — Foto: Divulgação/EA Esports
Veja ações proibidas que podem dar banimentos eternos no FIFA 20 — Foto: Divulgação/EA Esports
Quer comprar jogos, consoles e PCs com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Comportamento tóxico

Assim como em outros jogos competitivos, FIFA 20 tem regras rigorosas para combater a toxicidade dos jogadores. Em novembro do ano passado, o pro player Kurt "Kurt0411" Fenech foi banido temporariamente por xingar a desenvolvedora do game, fazer gestos obscenos para a câmera e cuspir em um cachecol com o logo da EA.
Kurt já foi banido por ter comportamento tóxico em lives e torneios presenciais — Foto: Divulgação/Eletronic ArtsKurt já foi banido por ter comportamento tóxico em lives e torneios presenciais — Foto: Divulgação/Eletronic Arts
Kurt já foi banido por ter comportamento tóxico em lives e torneios presenciais — Foto: Divulgação/Eletronic Arts
Para denunciar jogadores que violam essas condutas, a EA oferece os serviços de "Ajuda" e "Informar abusos". Também é possível relatar player tóxicos pelo Suporte Técnico da EA (help.ea.com/br/). Veja, a seguir, ações que a desenvolvedora entende como tóxicas:
  • Assediar, ameaçar, intimidar, envergonhar, disseminar spam ou ter qualquer ação inadequada com outro jogador, como enviar repetidamente mensagens indesejadas ou fazer ataques ou declarações pessoais sobre raça, orientação sexual, religião, cultura, etc. Também não são toleradas mensagens de incitação ao ódio.
  • Publicar, postar, fazer upload ou distribuir qualquer conteúdo que a EA determine ser "inadequado, abusivo, odioso, ofensivo, profano, difamatório, ameaçador, obsceno, de conteúdo sexual explícito, infrator, que fira a privacidade de alguém, vulgar, indecente ou ilegal". A desenvolvedora informa que vai agir de maneira razoável e objetiva para julgar o teor desses conteúdos.
  • Será considerado tóxico o jogador que desestabilizar ou interferir no uso de um Serviço EA de outro player. Isso inclui ações como desestabilizar o fluxo normal de um jogo, o bate-papo do game ou um diálogo dentro de um Serviço EA. Serão considerados uso de linguagem vulgar ou provocativa, agressividade, quem falar gritando (digitando em maiúsculas) excessivamente e enviar mensagens de spam.

Utilizar "autobuyers" (compradores automáticos)

Os compradores automáticos são bots utilizados para adquirir certas cartas assim que elas são listadas no mercado de transferências do Ultimate Team. Essa é uma maneira rápida e ilegítima de adquirir coins, pois permite ao jogador "monopolizar" determinadas cartas. Ainda, a EA proíbe transações fora dos limites do jogo, tanto nos consoles quanto nos aplicativos Companion, para PC, e Web App, para celulares.
No Contrato do Usuário, a EA Sports também proíbe "usar ou distribuir softwares ou ferramentas não autorizados, como softwares 'automáticos', que usem 'macros', softwares ou aplicativos 'utilitários trapaceadores' ou qualquer outro software ou ferramenta para hackear, alterar ou trapacear em um jogo."

Compra e venda de moedas e contas

Um jogador que compra ou vende as coins para terceiros vai contra as regras da EA, pois inflaciona o preço das cartas no mercado de transferências. Em casos como esse, a EA ainda alerta que o player pode ter as informações de sua conta roubada no processo das transferências de coins. Jogar partidas e completar Desafios de Montagem de Elenco são as maneiras recomendadas pela desenvolvedora para conseguir moedas. A empresa também proíbe a compra, venda e negociação de contas da EA.

Trapacear no jogo

Weekend League é alvo de manipulações e desconexão das partidas — Foto: Divulgação/EA SportsWeekend League é alvo de manipulações e desconexão das partidas — Foto: Divulgação/EA Sports
Weekend League é alvo de manipulações e desconexão das partidas — Foto: Divulgação/EA Sports
Bugs de desconexão das partidas e manipulação na organização das partidas na Weekend League também são práticas proibidas no FIFA 20. Nesses casos, os jogadores trapaceiros podem não receber derrota por desconexão e chegar ao cenário competitivo com mais facilidade. As trapaças trazem injustiças para o game e prejudicam a experiência competitivas dos jogadores.

Falsificar dados pessoais

Ao criar uma Conta EA, a empresa solicita que o jogador coloque os dados pessoais verdadeiros e corretos. Não há algum item nas regras de conduta que especifique a falsificação de dados pessoais, mas "tentar conseguir senhas, dados, informações da conta ou outras informações privadas de qualquer outra pessoa nos Serviços EA" e "passar por outra pessoa ou implicar falsamente que é um funcionário ou representante da EA" são práticas contrárias às normas da desenvolvedora.


Fonte: G1
00:00/01:57


radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário