busin
Tecnologia e Games

Celular com projetor: telefones com tela de cinema estão no Brasil



O celular com projetor continua sendo a busca de consumidores que desejam transformar a parede em tela de cinema ou exibir slides em qualquer lugar. O recurso envolve a presença de uma lâmpada especial instalada no smartphone capaz de emitir luz suficientemente brilhante para espelhar o conteúdo do display em uma imagem projetada no ambiente. A função desembarcou no Brasil em 2012 com o Galaxy Beam, da Samsung. Desde então, a tecnologia evoluiu e pode ser aproveitada em pelo menos cinco telefones à venda no mercado: Quantum V, Moviphone, Moto Z3 Play, Moto Z2 Play e Moto Z2 Force.

Quantum V

Quantum V é o único celular vendido no Brasil com projetor integrado. Desenvolvido pela brasileira Positivo, o aparelho emite uma luz laser responsável por criar uma imagem de até 80 polegadas com resolução HD (1280 x 720 pixels) em qualquer superfície. O contraste prometido é de 5.000:1, o que já seria suficiente para visualizar a projeção sem a necessidade de um local totalmente escuro.
Ele promete desempenho intermediário. O hardware inclui processador MediaTek MT6750, o mesmo usado em celulares da LG como o K11 e o Q7, além de memória RAM de 4 GB e armazenamento de 64 GB. A bateria é de 4.000 mAh, o suficiente para 4 horas de projeção segundo a fabricante. O componente, junto com a estrutura do projetor, ajuda a deixar o Quantum V pesado: são 203 gramas, peso similar ao de aparelhos como o iPhone 8 Plus.
Assim como iPhones mais antigos, o celular da Quantum também traz um design que ficou para trás: a tela de 5,5 polegadas Full HD traz bordas consideráveis, em tempos de câmera dentro da tela ou display que ocupa quase a integralidade da face do aparelho. Ele não segue a tendência de múltiplas câmeras e conta apenas com um sensor fotográfico de 13 MP, além de um de 8 MP para selfies.
O aparelho foi lançado com o antigo Android 7 (Nougat) em agosto de 2017 pelo preço de R$ 1.799. Atualmente, surge em lojas online por cerca de R$ 860.

Moviphone

O Moviphone é um celular que compartilha o mesmo projetor e até o design do Quantum V, mas é vendido no exterior com algumas diferenças nas especificações. Ele foi apresentado na CES 2018 e chamou atenção pela capacidade de projetar imagem HD de até 100 polegadas com brilho que alcança 50 lumens. As especificações sugerem qualidade de imagem um pouco superior em comparação com a versão brasileira.
Moviphone é uma espécie de versão internacional do Quantum V que projeta imagem de 100 polegadas — Foto: Divulgação/MoviphoneMoviphone é uma espécie de versão internacional do Quantum V que projeta imagem de 100 polegadas — Foto: Divulgação/Moviphone
Moviphone é uma espécie de versão internacional do Quantum V que projeta imagem de 100 polegadas — Foto: Divulgação/Moviphone
A ficha técnica é muito similar à do Quantum V. Ele traz o mesmo processador MediaTek, memória RAM de 4 GB e armazenamento de 64 GB, além de bateria de 4.000 mAh. A tela também mede 5,5 polegadas, com visual marcado pela presença de bordas espessas ao redor do painel. A diferença está principalmente na câmera traseira, que salta para 16 MP, e na existência de uma versão mais básica com 3 GB de RAM e 32 GB de espaço interno.
O celular está disponível para comprar apenas via importação, pelo preço de US$ 559 (aproximadamente R$ 2.384) já com frete para o Brasil.

Moto Z3 Play

O celular mais recente no Brasil compatível com projetor é o Moto Z3 Play, da Motorola. Lançado em junho de 2018, ele pode ser utilizado em conjunto com o Moto Insta-Share Projector, um acessório que se acopla na parte traseira do telefone e permite criar uma imagem de até 70 polegadas com resolução de 854 x 480 pixels a partir do conteúdo do smartphone.
O dispositivo traz bateria integrada de 1.100 mAh que, somada ao componente de 3.000 mAh do telefone, é suficiente para 60 minutos adicionais de projeção, segundo a fabricante. O brilho é de 50 lumens e o contraste de apenas 400:1, o que exige um ambiente muito escuro para visualizar a imagem com qualidade. A lâmpada tem duração nominal de 10 mil horas.
Moto Z3 Play pode ser usado em conjunto com Moto Snap Instashare Projector — Foto: Divulgação/MotorolaMoto Z3 Play pode ser usado em conjunto com Moto Snap Instashare Projector — Foto: Divulgação/Motorola
Moto Z3 Play pode ser usado em conjunto com Moto Snap Instashare Projector — Foto: Divulgação/Motorola
O Z3 Play é um smartphone de categoria intermediária com tela de 6 polegadas Full HD+ e câmera dupla de 12 e 5 megapixels. A frontal tem 8 MP. Suas especificações devem ser satisfatórias para tarefas como redes sociais, navegação na web e uso moderado de aplicativos de edição e jogos. Ele conta com o processador Snapdragon 636 de até 1,8 GHz, memória RAM de 4 GB e armazenamento de 64 GB, assim como o Moto G7 Plus. Há também uma versão turbinada com 6 GB de RAM e 128 GB de espaço interno.
Um ano e meio após o lançamento, o preço do telefone passou de iniciais R$ 2.299 para valores a na faixa de R$ 1.360 ou por R$ 3.400 no combo com o projetor incluído. O aparelho roda Android 9 (Pie) e não deve receber atualizações de sistema.

Moto Z2 Play

O mesmo projetor Instashare é compatível com o Moto Z2 Play, versão de 2017 que ainda pode ser encontrada em lojas do varejo. O smartphone conta tela de 5,5 polegadas que se caracteriza pelas bordas avantajadas e traz uma única câmera na traseira, com 12 megapixels de resolução. A frontal é de 5 MP.
A ficha técnica menciona a mesma quantidade de memória RAM e armazenamento do sucessor, mas com a diferença de um processador menos potente: embora alcance maior frequência de operação (2,2 GHz), o Snapdragon 626 tende a entregar desempenho inferior e a consumir mais energia. Em contrapartida, o aparelho roda o mesmo sistema Android 9 (Pie).
Mesmo que seja mais antigo, o celular quase não apresenta diferença de preço em relação à geração mais recente. Em lojas da internet, ele pode ser encontrado por cerca de R$ 1.230. Como ele não está à venda no kit com o projetor, é preciso adquirir o acessório à parte por R$ 998.

Moto Z2 Force

Lançado também em 2017, o Moto Z2 Force é uma opção mais potente que a edição Play e que se caracteriza por trazer tela resistente a impactos. O display AMOLED de 5,5 polegadas traz resolução Quad HD e promessa de ser inquebrável, segundo a fabricante. Apesar da definição de imagem maior, a projeção segue limitada aos 480 pixels do projetor.
Em contrapartida, há promessa de desempenho melhorado graças a um chip de categoria superior, o Snapdragon 835. Ele traz ainda memória RAM de 6 GB e armazenamento de 64 GB e pesa apenas 143 g, o que ajuda a manter o telefone leve mesmo com o acessório de projeção conectado na traseira. Por outro lado, ele apresenta um design ultrapassado como o Z2 Play, com muitas bordas ao redor do painel. A bateria também é pequena, de apenas 2.730 mAh, o que pode impactar no tempo de reprodução de filmes na tela de cinema.
Lançado no Brasil por R$ 2.999, o smartphone pode ser adquirido hoje em dia no comércio eletrônico por R$ 2.700. É preciso adicionar ainda o valor do projetor de R$ 998.
Com informações da QuantumMoviphone e Motorola (1/2/3)

Fonte: G1

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário