busin
Cariri

Rota Cariri promete aumentar o turismo no Sul do Estado


A estátua do Padre Cícero é um dos locais contemplados pelo projeto Rota CaririFoto: Gustavo Pellizzon
Com o objetivo de impulsionar o fluxo de visitantes na região, foi oficializada na tarde de ontem (3), a criação da Rota Cariri. O termo de implantação foi assinado entre representantes da Secretaria do Turismo do Ceará (Setur) - idealizador do projeto -, da Secretaria da Cultura do Estado (Secult), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), além dos seis municípios que serão contemplados pela Rota. 
A princípio, o projeto aglutina 50 locais das cidades de Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Santana do Cariri, Nova Olinda e Assaré que contemplam diversos aspectos como as riquezas naturais, a cultura, o artesanato, a religiosidade popular e a ciência. Conforme o titular da Setur, Arildo Pinho, a Rota Cariri deverá trazer mais investimentos que serão fundamentais para melhorar a infraestrutura, desde o setor hoteleiro à ampliação de linhas aéreas, como a capacitação das pessoas que acolhem os turistas nos diversos locais da região. “Isso é o primeiro passo de um grande caminho que vamos desenvolver com os operadores de turismo, voos e receptivos. Vamos gerar publicidade da Rota na TV e internet, trazendo influenciadores, fazendo com que a marca ‘Cariri tenha mais peso”. 
Ainda segundo o secretário, os critérios para iniciar a rota foram os equipamentos que apresentam a melhor qualidade atualmente — isso excluiu cidades como Missão Velha, que possui dois geossítios reconhecidos pelo Geopark Araripe: Cachoeira de Missão Velha e Floresta Petrificada. “Isso não quer dizer que não serão agregados logo mais. O problema é que precisa qualificar. Não adiantar ter turista na situação atual”, justificou. 
O debate para o projeto da Rota Cariri acontecia há pelo menos dois anos e a Secult entrou como parceira pelo potencial das manifestações populares que já existe na região. “É impossível pensar um destino turístico do Cariri dissociado da dimensão cultural. É uma proposta de um turismo cultural e sustentável, reunindo numa rota que valoriza as expressões, mas também a exuberância da Floresta Nacional do Araripe”, destacou Fabiano Piúba, titular da Secult.
Abrangência
A rota insere pontos turísticos populares, como a estátua do Padre Cícero, o Museu e Memorial, em Juazeiro do Norte; a Fundação Casa Grande – Memorial Homem Kariri, Museu do Ciclo do Couro, em Nova Olinda; a Fundação Memorial Patativa do Assaré, em Assaré; o Museu de Paleontologia e o Pontal da Santa Cruz, em Santana do Cariri; a Estátua de Nossa Senhora de Fátima e o Caldeirão da Santa Cruz, em Crato; o Centro Histórico e a Festa de Santo Antônio, em Barbalha. 
O representante do Conselho de Desenvolvimento do Turismo do Cariri (Condetur, Júnior Feitosa, acredita que a Rota deve elevar, ainda mais, o potencial do região. “Hoje, nossa gastronomia não perde para os grandes centros. No setor hoteleiro, em números comparativos, estamos mais bem servidos que Fortaleza. Este é um momento de inspiração para outros empresários, para olhar nosso produto, a qualidades dos nossos serviços”, pontua. 
Importante editora de literatura de cordel do Brasil, a gráfica Lira Nordestina, em Juazeiro, também foi incluída no projeto. “Acredito que vai nos ajudar trazendo turistas e, principalmente, valorizando nosso trabalho. Vamos mostrar um pouco a história do cordel e da gravura do Cariri”, acredita o xilógrafo José Lourenço.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário