busin
Economia e Negócios

Reajuste de tarifa de energia é adiado no Ceará devido à pandemia


A empresa pediu à Agência Nacional de Energia Elétrica que o aumento previsto para vigorar a partir de 22 de abril fosse postergado para 30 de junho deste ano.Helene Santos
O reajuste anual da tarifa de energia no Ceará foi adiado em pouco mais de dois meses como forma de reduzir o impacto da crise gerada pelo novo coronavírus no Ceará, segundo informou a Enel Distribuição Ceará na manhã desta terça-feira (14).
A empresa pediu à Agência Nacional de Energia Elétrica que o aumento previsto para vigorar a partir de 22 de abril fosse postergado para 30 de junho deste ano.
"O reajuste médio aprovado hoje (14) pela Aneel foi de 3,94%. O aumento para consumidores de baixa tensão, em sua maioria clientes residenciais, será de 4,0%, e para os clientes de média e alta tensão, em geral indústrias e grandes comércios, o índice aprovado é de 3,78%", diz a companhia em nota.
Impacto futuro
No entanto, a Enel acrescenta que, "para assegurar que não haja impactos na prestação dos serviços e nos investimentos necessários na rede elétrica, durante a crise causada pelo coronavírus, a decisão da Aneel considerou que a diferença na receita da empresa decorrente da postergação da nova tarifa será considerada no reajuste de 2021".
A companhia ainda demonstrou a divisão dos custos para o fornecimento de energia elétrica no Ceará, na qual os tributos (27,7%) abocanham a maior fatia, seguidos de custo de energia (36,5%), custo de distribuição (24,9%), encargos setoriais (6,4%) e custo de transmissão (4,5%).
"Para ser ter uma ideia, de uma conta de R$ 100, por exemplo, apenas cerca de R$ 24,9, serão destinados à Enel Distribuição Ceará para operação, expansão, manutenção da rede de energia e para remuneração dos investimentos realizados", justifica.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário