busin
Ceará

Universidade de Fortaleza antecipa Colação de Grau 2020.1 para concludentes da área de saúde



Em caráter especial, cerimônia foi realizada em sistema de drive-thru para evitar aglomeraçãoFoto: Kid Junior
Por conta da pandemia de coronavírus, a Universidade de Fortaleza antecipou a Colação de Grau 2020.1 de 82 alunos dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia e Medicina para a tarde desta terça-feira (14). A cerimônia foi realizada em sistema de drive-thru para evitar aglomerações.
Os graduandos foram orientados a permanecer  dentro do veículo até a assinatura da ata e recebimento do Certificado de Conclusão do Curso. A solenidade ocorreu das 14h às 17h no estacionamento da Divisão de Assuntos Estudantis (DAE).
Formados em caráter especial, os novos profissionais de saúde poderão atuar no desenvolvimento de trabalhos para o controle do avanço da Covid-19 no Ceará. A professora e assessora da Vice-Reitoria de Ensino de Graduação da Universidade de Fortaleza, Karol Moura, explica que a decisão de antecipar a cerimônia é regulamentada pelo Ministério da Educação.
Critérios
“Foram várias portarias, culminando com a última publicada ontem, a 383, que regulamenta justamente a antecipação de colação de grau de alunos de alguns cursos da área da saúde, desde que os alunos obedeçam determinadas condições expostas”, justifica. 
Todos os estudantes formados estavam isentos de pendências acadêmicas, como módulos de semestres anteriores não cursados ou com reprovação. Outro critério também estabelecido era que os alunos de Enfermagem e Fisioterapia tivessem apresentado o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).
Em relação à carga horária, os acadêmicos de Medicina precisavam ter cumprido 75% da carga horária do internato. A mesma porcentagem valeu para os estágios obrigatórios dos demais cursos. 
Missão
Para Lucas Fernandes, concludente de Enfermagem, a cerimônia atípica reforça a missão de que a profissão escolhida salva vidas. “Estar se formando é gratificante, mas tem um ar de mais responsabilidade, porque nós estaremos na linha de frente contra o coronavírus”, pondera.
Já a graduada em Medicina, Vivian Mota, acredita que  anos de preparação do curso ajudarão os profissionais no enfrentamento da doença. “Não é porque a gente está se formando um mês e meio antes que a gente não está pronto para enfrentar. Todos estão com expectativas altas para ajudar a população a sair dessa”, garante.

Fonte: DN

radioprogresso

0 comentários:

Postar um comentário